Fósseis de pterossauro gigante são encontrados no deserto

537
Cientistas encontram restos fósseis de pterossauro pela primeira vez no Chile - Foto: Universidad de Chile / AFP
Cientistas encontram restos fósseis de pterossauro pela primeira vez no Chile - Foto: Universidad de Chile / AFP

Um grupo de cientistas descobriu no Deserto do Atacama, no Chile, restos fósseis que foram identificados como de um pterossauro.

A espécie de dinossauro é considerada um dragão voador, que viveu há cerca de 160 milhões de anos. Foi a primeira vez que uma descoberta do tipo aconteceu na região.

A descoberta foi divulgada na semana passada pela Universidade do Chile, em comunicado e aconteceu em 2009, durante a expedição do grupo pelo deserto.

É a primeira vez que fósseis de pterossauro são encontrados no hemisfério Sul.

“Todas as descobertas da subfamília Rhamphorhynchinae provêm essencialmente do hemisfério norte, principalmente da Europa. Com isso, demonstramos que a distribuição dos animais deste grupo era mais ampla do que se sabia até o momento”, explicou Jhonatan.

Restos fósseis

Jhonatan Alarcon, cientista da Rede Paleontológica desta universidade, que chefiou os estudos dos fósseis de pterossauro, disse que os fósseis mostram características comuns dos famosos “dragões alados”.

Ele conta que os animais geralmente tinham envergadura de até dois metros de asas e “se caracterizavam por ter uma única cauda muito alongada, com uma terminação peculiar em forma de losango. Tinham, ainda, cabeças baixas, focinhos longos e pontiagudos voltados para a frente”.

Os restos fósseis do pterossauro foram identificados como o úmero esquerdo, uma possível vértebra dorsal e dois fragmentos de uma falange de asa, todos preservados em três dimensões.

Segundo os cientistas, o animal estava perto da fase adulta e pertencia à subfamília Ramphorhynchinae.

Restos fósseis do pterossauro - Foto: Universidad de Chile / AFP
Restos fósseis do pterossauro – Foto: Universidad de Chile / AFP

Com informações de Correio Braziliense