Ser otimista melhora a saúde e reduz estresse, revela novo estudo

-
Por Andréa Fassina
Compartilhar
Imagem de capa para Ser otimista melhora a saúde e reduz estresse, revela novo estudo
Os voluntários otimistas da pesquisa mostraram maior bem estar emocional Foto: Pixabay

Ser otimista não é apenas um estado de espírito e uma filosofia de vida. É também a causa de permanecermos saudáveis e termos um envelhecimento bem sucedido.

É o que mostra um novo estudo de pesquisadores norte-americanos publicado na revista Science Daily. De acordo com os cientistas, o otimismo pode promover o bem-estar emocional limitando a frequência com que a pessoa otimista sente as situações estressantes.

Os pesquisadores descobriram que os voluntários mais otimistas relataram não apenas um humor negativo mais baixo, mas também um humor mais positivo (mais do que simplesmente não se sentirem negativos).

Eles também relataram ter menos estressores que não estavam relacionados ao seu humor positivo mais alto, mas explicavam seus níveis mais baixos de humor negativo.

Como as pessoas positivas lidam com o estresse

“Este estudo testou uma explicação possível, avaliando se pessoas mais otimistas lidam com o estresse diário de forma mais construtiva e, portanto, desfrutam de melhor bem-estar emocional,” explicou a professora Lewina Lee, da Universidade de Boston (EUA).

Os pesquisadores acompanharam 233 voluntários mais velhos, que primeiro preencheram um questionário de otimismo, para servir como linha de base da personalidade desses voluntários.

Avaliação

Então, 14 anos depois, eles passaram por uma longa e detalhada etapa de avaliação – oito noites consecutivas, até três vezes ao longo de um período de oito anos -, quando relatavam estressores diários, juntamente com humores positivos e negativos.

Embora os estudos confirmem cada vez mais a ideia do otimismo como um recurso que pode promover boa saúde e a longevidade, a ciência ainda sabe muito pouco sobre os mecanismos fisiológicos que fazem essa ponte, diferentemente do que acontece com o estresse, cujo impacto negativo em nossa saúde já foi bastante pesquisado.

Com informações do Diário da Saúde