Aos 45 anos, brasileiro vai realizar sonho de aprender a ler para tirar CNH

-
Por Monique de Carvalho
Compartilhar
Imagem de capa para Aos 45 anos, brasileiro vai realizar sonho de aprender a ler para tirar CNH
Mineiro é um dos alunos do projeto Começar, que ajudar adultos a realizar sonho de ler e escrever - Foto: ONG Nóiz/ Arquivo Pessoal

Há tempos um morador da Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, tem o sonho de aprender a ler e escrever para tirar a CNH e conseguir um trabalho com carteira assinada. E agora, aos 45 anos, ele finalmente vai poder realizar o desejo de uma vida inteira, inclusive para ler mensagens no WhatsApp e placas de trânsito.

Márcio Nascimento de Carvalho, o “Mineiro”, ganhou a oportunidade de se alfabetizar com o Projeto Começar. Ele é o primeiro matriculado da turma. Essa iniciativa linda da ONG Noiz Projeto Social vai levar alfabetização aos moradores da comunidade com mais de 18 anos, que não conseguiram estudar.

Até hoje Márcio se ressente por só conseguir assinar o próprio nome “olhando na identidade”. “Eu comprei um caminhãozinho e faço frete aqui por dentro, porque não tenho carteira. Não consigo tirar porque não sei ler e nem escrever”, lamentou em entrevista ao Só Notícia Boa.

Ler placas de trânsito e o WhatsApp

Mineiro representa muitos brasileiros que são inteligentes mas não tiveram oportunidade de estudar. “Eu sou muito inteligente. Então eu sonho em aprender a ler e escrever para poder tirar a carteira, comprar um caminhão melhor e poder dirigir para todos os cantos. Eu vou saber ser as placas [de trânsito], saber quando é direita e quando é esquerda, essas coisas”, disse.

Esse pai também conta que aprender a ler e escrever vai ajudá-lo de outras formas. “Eu vou poder responder meu WhatsApp, por exemplo. Hoje eu só consigo responder por áudio. Se as pessoas escrevem eu não sei o que é. Aí eu digo que o vidro do aparelho tá quebrado, pra não ficar explicando”, lembrou.

Em vez de estudar, teve que trabalhar

Casado e pai de três filhos, Mineiro conta que sempre teve uma vida cheia de dificuldades. “Eram sete irmãos. A situação era difícil. Então eu tive que trabalhar [cedo]”, lembra.

O pai era um “faz-tudo” e a mãe cuidava dos filhos em casa. Quando os pais dele se separaram, as dificuldades aumentaram muito. “Eu ia para a escola só para comer. Como em casa não tinha refeição, a gente aproveitava a merenda”, diz.

O primeiro emprego do Mineiro foi de ajudante de ferro-velho. Todo dinheiro que ganhava entregava para a mãe manter a casa. “Eu não tive escolha. Tive que trabalhar”, explicou.

Já adulto e sem muitas oportunidades, Mineiro começou fazer frete dentro da Cidade de Deus.

Projeto Começar

E se depender do pessoal da ONG Nóiz, o Mineiro terá sim um futuro melhor! Ele foi convidado para ser um dos alunos do projeto “Começar”, que vai alfabetizar maiores de 18 anos da comunidade.

O Começar carrega no slogan o verdadeiro propósito e sentimento do projeto. “Para quem acredita que nunca é tarde”.

“Todos os dias identificamos pessoas não sabem ler e escrever. É gente extremamente inteligente, que ou acredita que não há mais tempo, ou que acabou se acostumando com as dificuldades da dura vida. Isso nos incomoda demais, não é justo”, contou André Melo, presidente da ONG.

A matrícula está aberta, e as aulas começarão no dia 1° de julho, todas as segundas e quartas, das 18h às 20h. Para mais informações, você pode acessar o site da ONG neste link ou enviar mensagem através do perfil no Instagram, no @noizprojetosocial.

Avó cuida sozinha de dois netos órfãos

Assim como o Mineiro, a Dona Rosa também teve uma vida difícil e não conseguiu aprender a ler e escrever. E ela luta todos os dias por um futuro melhor para os dois netos, que passou a cuidar após o pai dos meninos ser assassinado.

Hoje a Dona Rosa conta com uma rede de apoio formada por vizinhos e amigos, mas precisa da nossa ajuda.

A casa dela foi destruída pelas chuvas e essa avó está vivendo em um imóvel emprestado.

Nós podemos reconstruir a vida da Dona Rosa! Você pode ajudá-la doando pelo PIX casa-dona-rosa@sovaquinhaboa.com.br ou acessando o site do Só Vaquinha Boa, neste link, e contribuindo de outras formas.

Mineiro será um dos alunos do projeto Começar, da ONG Nóiz - Foto: arquivo pessoal

Mineiro será um dos alunos do projeto Começar, da ONG Nóiz – Foto: arquivo pessoal