Estudante do Maranhão é aprovada em 5 universidades nos EUA

-
Por Monique de Carvalho
Imagem de capa para Estudante do Maranhão é aprovada em 5 universidades nos EUA
Hayêssa foi aprovada em cinco universidades dos EUA, todas com bolsa parcial e precisa de ajuda para pagar o restante - Foto: arquivo pessoal

Estudiosa e dedicada, a Hayêssa Siqueira, de 17 anos, sempre sonhou grande. Foi a força de vontade e o foco que fizeram com que essa jovem de Itapecuru-Mirim, no interior do Maranhão, fosse aprovada em cinco universidades dos EUA, todas com bolsa parcial.

Hayêssa contou que chegar até a aprovação não foi fácil, mas ela sempre acreditou que era possível e isso a motivou ainda mais.

“Eu acredito que se Deus permitiu eu sonhar [com a aprovação], é porque pode ser realizado”, afirmou a jovem, em entrevista ao Só Notícia Boa.

Muita preparação

Hayêssa explicou que traçou a meta de ser aprovada em uma universidade internacional e ela mesma buscou todas as informações pela internet. Sabendo exatamente o que precisava, começou a se preparar, estudando todos os dias e acompanhando vários processos seletivos.

“Não posso dizer que foi fácil, tive que ir duas vezes para o Ceará para fazer provas, conversei com alguns professores da minha escola para que escrevessem cartas de recomendação, me esforcei para tirar as melhores notas e me manter no ranking mais alto da turma, desenvolvi minhas atividades extracurriculares e ainda fiz e refiz inúmeras redações”, lembrou a estudante.

Pais sem condições financeiras

A jovem conta que os pais sempre a motivaram com o sonho. Apesar de não terem condições financeiras para pagar parte do curso no exterior, eles fizeram de tudo para que a Hayêssa chegasse até a aprovação. Os pais, Eline e Pedro, são servidores estaduais.

“Minha família está fazendo o possível para ajudar pois além da universidade há o gasto com roupas de inverno, livros, visto, seguros e da passagem, contudo só estes gastos estão muito além do que minha família poderia custear e ainda tem a mensalidade”, explicou.

Mobilização nas redes sociais

E foi pelo empenho de realizar o sonho de estudar fora, que Hayêssa começou uma campanha nas redes sociais. A rede de solidariedade, formada por amigos e parentes, arrecadou uma parte do valor que ela precisa para estudar o primeiro ano nos Estados Unidos. Isso já custeou visto e passagem.

Quando começou a campanha, que ela batizou de “Fly High” [voa alto, em inglês], Hayêssa tinha apenas duas aprovações. Para a surpresa da estudante, após o primeiro vídeo, que viralizou no Instagram, ela recebeu mais três cartas de outras universidades.

“‘Fly High’ é o nome da minha campanha, pois eu não tenho medo de sonhar. Eu continuei voando o mais alto que pude até conseguir alcançar meus objetivos, mas, agora eu não sou capaz de continuar sozinha, então preciso da ajuda de vocês para continuar voando mais alto”, reforçou a estudante.

De todas as universidades com aprovação, a jovem escolheu a Pacific Lutheran University, onde ela pretende estudar psicologia.

Leia mais notícias boas:

De malas prontas

Hayêssa precisa embarcar para os Estados Unidos até agosto, já que as aulas iniciam em setembro.

Para esse primeiro ano, a jovem precisa comprovar que tem como se manter no país, já que a autorização para trabalhar na própria faculdade – e complementar a bolsa que ela ganhou – só é liberada a partir do segundo ano do curso.

A campanha da Hayêssa agora ganhou mais um reforço e queremos muito ver essa brasileira, lá do Nordeste, brilhar muito!

Estamos com uma vaquinha aberta para ajudar a custear os estudos da Hayêssa e contamos com você nessa missão!

Doe pelo PIX bolsa-faculdade@sovaquinhaboa.com.br ou diretamente no site do Só Vaquinha Boa, clicando aqui.