Coma: o santo remédio é ter fé, esperança e dar amor ao paciente. Pedro acordou!

9566
Pedro_Leonardo
Pedro_Leonardo
Por Luisa Borges
Durante semanas, a família, os amigos e fãs do cantor Pedro Leonardo (foto) esperaram por uma notícia boa.
E exatamente um mês depois a boa notícia chegou: ele acordou sorrindo.
Em coma desde o grave acidente de carro na manhã do dia 20 de abril, em Minas Gerais, quando voltava de um show, o filho do cantor Leonardo, teve
traumatismo craniano e trauma abdominal e foi colocado em coma induzido e depois permaneceu em coma natural.
Nesse período, Pedro passou por duas cirurgias, teve parada cardíaca e permaneceu em coma.
Apesar de toda incerteza sobre as possibilidades de recuperação, uma atitude sempre se manteve presente entre a família, os amigos e fãs: Esperança,
Fé e muito Amor.
No começo do mês a assessora de imprensa do cantor Leonardo, Ede Cury, contou que durante o coma, Pedro Leonardo reagia à presença do pai toda vez que ele o visitava.
“A ligação do Pedro com o Leonardo é uma coisa impressionante. Todas as vezes que o Leonardo entra na UTI ele abre o olho, fica com o braço arrepiado, mexe a mão, e agora vem fazendo isso mais vezes. Não sei se é energia dele, aquela coisa de pai mesmo, é impressionante.” 
coma
Esperança, fé e amor são traços comuns entre as pessoas que passam por situações semelhantes com pessoas queridas.
Segundo matéria da Revista Veja, no Brasil, por hora, cerca de 400 pessoas entram em coma.
Nos Estados Unidos, esse número dobra.

As causas são as mais diversas: acidentes de carro, traumatismos, aneurisma, derrames, infartos, intoxicação por medicamentos, álcool ou drogas.
Vinte por cento morrem, 70% conseguem se recuperar e 10% permanecem em coma crônico, ou estado vegetativo.
Porém, mesmo nesses casos o que se observa é que as pessoas ao redor não desistem, como o caso de Odele Sousa, cuja filha Flávia Sousa Belo, está em coma desde janeiro de 1998, vítima de um acidente na piscina do prédio onde moravam, no bairro de Moema, em São Paulo.
Odele criou um blog em 2007 –  flaviavivendoemcoma.blogspot.com.br – onde relata e comenta o dia a dia de Flávia.
“Todas as manhãs quando Flávia acorda, informo-a sobre o dia da semana, se o tempo está chuvoso ou se faz sol. Leio e canto para Flavia. Ela ouve músicas,
ouve as mensagens que chegam e enquanto lhe faço massagens, procuro conversar sobre coisas da sua infância. Acredito que isso lhe faça bem.”
A Esperança está também nos novos aparelhos que retratam o cérebro em plena atividade durante o coma, nos avanços, na compreensão do funcionamento cerebral que vêm revolucionando os conhecimentos sobre o coma.
Hoje a maioria das pessoas consegue sair do estado de coma e já se fala na possibilidade de recuperação de pacientes em estado vegetativo, como é o caso de Flávia.
Em todos os casos, uma coisa é certa: as pessoas que convivem com o paciente são fundamentais para a sua recuperação.
Daí a importância de estímulos,como a música, as conversas, o carinho, a paciência e, principalmente , o amor.
E enquanto a Ciência avança, a Esperança e a Fé devem continuar de mãos dadas, porque independentemente de crenças, o coma não deixa de ser uma experiência,
uma dura experiência, mas, que em muitos casos, fez com que elas se tornassem melhores do que eram antes.
Pense nisso.