Mini-rede e música instrumental ajudam bebês prematuros em UTI-Neonatal

852
redinha_HRSM
redinha_HRSM
Mais conforto e tranquilidade para bebês que nascem prematuros.
O Hospital Regional de Santa Maria, no Distrito Federal está colocando crianças com menos de 37 semanas, em mini-redes de algodão, adaptadas dentro das incubadoras.
Lá os bebes também escutam musicas clássicas instrumentais.
O projeto Nana Neném e Musicoterapia na UTI Neonatal vem sendo adaptado desde o ano passado.

Foi criado pela fisioterapeuta Isabelle Salgado Silva e com a equipe multidisciplinar do setor, formada por médicos, fisioterapeutas, enfermeiros, psicólogos, fonoaudiólogos entre outros profissionais.  

“Os bebês podem passar meses internados na UTI e recursos como a rede de algodão e a música clássica instrumental contribuem positivamente na recuperação deles. Uma simples intervenção como o posicionamento adequado, pode influenciar o desenvolvimento neuro-sensório-motor, sistema articular e músculo-esquelético do bebe”, explicou a fisioterapeuta.
Ao bebês ficam em média de trinta a sessenta minutos na redinha, dependendo da adaptação de cada um.
Assim o bebe fica mais tranquilo e não se estressa quando a equipe for realizar procedimentos como coleta de sangue e medicação.
A rede é confeccionada com as medidas necessárias para que fique segura e possa ser colocada dentro da incubadora.
Além disso, a terapia contribui para a organização motora e cognitiva, ajuda na estimulação sensorial, favorece o sistema respiratório e auxilia na habilidade oral-motora.
A música, por sua vez, diminui o estado de alerta, favorece a redução da frequência cardíaca e respiratória e estimula o sistema auditivo.
Com informações do Jornal de Brasília.