Judia de 102 anos recebe doutorado negado por nazistas

814
Foto: Bodo Marks / AP
Foto: Bodo Marks / AP

Demorou quase 80 anos, mas ela conseguiu.

Aos 102 anos de idade, a alemã Ingeborg Rapoport recebeu o título de doutorado, que lhe foi negado pelos nazistas pelo fato de ela ser judia.

A conquista foi na semana passada na Alemanha. Ingeborg recebeu seu esperado doutorado em Medicina.

História

Ela escreveu em 1938, na Universidade de Hamburgo , uma tese de doutorado sobre difteria, doença que matou milhares de pessoas no século passado. Mas, por ser judia, as leis racistas dos nazistas proibiam que ela defendesse a tese.

Ingeborg se refugiou nos Estados Unidos durante a guerra, mas nunca desistiu do doutorado.

Aos 100 anos de idade, obteve da universidade a promessa de reconsiderar o caso, desde que defendesse a tese, o que a obrigou a estudar nos últimos meses as novidades dos últimos 80 anos.

“Finalmente agora posso parar”, disse ela ao receber o título de doutora.

Aos 102 anos, Ingeborg virou a pessoa mais idosa do mundo a receber um doutorado.

Com informações do G1