Nova governadora corta seu salário pela metade e aumenta creches

Foto: KyodoFoto: Kyodo

Esta é da série #AprendeBrasil.

A recém-eleita governadora de Tóquio chegou “chegando”, como se diz. Yuriko Koike anunciou que vai reduzir o próprio salário pela metade, como prometeu na campanha.

Hoje um governador de Tóquio tem direito a um salário mensal de 1,46 milhão de ienes, aproximadamente R$ 46,5 mil, incluindo bônus de inverno e de verão. Koike deverá receber algo em torno de R$ 23 mil por mês.

Ela tomou a decisão para ajudar a salvar o dinheiro dos contribuintes. O decreto-lei que regula seu salário irá expirar quando seu mandato terminar.

A governadora eleita na semana passada anunciou também um plano para aumentar o número de creches na capital japonesa.

O número de crianças em lista de espera chegou a 8.466 em 1º de abril, o mais alto entre as principais cidades do país e 652 a mais em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar.

3,5 bilhões

Para resolver o problema, Koike fez uma proposta de orçamento adicional no valor de 12,6 bilhões de ienes, aproximadamente R$ 401,2 milhões, para a criação de novos centros de cuidados infantis na Região Metropolitana de Tóquio.

O orçamento total para apoiar as famílias com filhos pequenos terá um total de 110 bilhões de ienes, aproximadamente R$ 3,503 bilhões.

Sob o orçamento suplementar, que Koike chama de “o primeiro passo” para resolver o problema da escassez de creches, 5.000 vagas serão adicionados à meta anterior de 12.000, elevando assim a meta para 17.000 novas vagas.

O projeto inclui também incentivos para os proprietários de imóveis desocupados, que somam em torno de 82.000, em Tóquio, para permitir o estabelecimento de tais instalações.

Koike explicou ainda que alguns imóveis de propriedades do governo metropolitano também poderão ser usados para abrigar novas instalações.

O plano inclui ainda prestar assistência aos operadores de centros de cuidados infantis e facilitar as regulamentações para estabelecer novas instalações.

A proposta será submetida à Assembleia de Tóquio no fim do mês.

“As medidas de assistência são destinadas a ajudar a população de Tóquio a equilibrar o trabalho com a vida familiar, declarou Koike.

“Eu acredito que é uma questão de urgência,” acrescentou a governadora em referência à criação de novas instalações.

A intenção da governadora é que os resultados positivos de seu plano surjam o mais rápido possível, dentro do atual ano fiscal, que termina em março de 2017.

 

O conteúdo do SóNotíciaBoa é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.