1º parque aquático 100% acessível a pessoas com deficiência

1062
Foto: Robin Jerstad/Divulgação
Foto: Robin Jerstad/Divulgação

Chegou a vez das pessoas com deficiências se esbaldarem nos jatos de água de um parque.

O Morgan’s Wonderland, inaugurou o Inspiration Island, em San Antonio, no Texas.

É o primeiro parque aquático do mundo totalmente acessível. Lá podem brincar pessoas com ou sem deficiências, em cadeiras de rodas, visitantes com deficiência visual, ou auditiva e até visitantes com respiradores.

“O Inspiration Island não é um parque de necessidades especiais, é um parque de inclusão”, disse Gordon Hartman, fundador da Fundação The Gordon Hartman Family, que desde 2005 investe em projetos para pessoas com deficiência, incluindo o parque aquático.

O projeto foi desenvolvido com apoio de médicos, terapeutas, professores, cuidadores e, claro, as próprias pessoas com deficiência.

A inspiração para o parque vem da filha de Hartman, Morgan, uma jovem de 23 anos com necessidades especiais.

“Nós decidimos batizar o parque como Morgan’s Inspiration Island, porque Morgan foi a catalizadora de todos os projetos que criamos para ajudar a comunidade de pessoas com deficiência”, contou Hartman.

Testes

Antes da abertura oficial, grupos foram convidados para testarem todos os equipamentos, de forma a garantir que todas as atrações possam ser aproveitadas pelos visitantes.

“Nosso objetivo é fornecer uma experiência ótima num ambiente inclusivo, seguro e confortável”, garantiu Hartman.

O parque aquático ocupa uma área de 32 mil metros quadrados e recebeu US$ 17 milhões em investimentos.

Atrações

Entre as atrações estão um passeio de barco por um rio com tema tropical e cinco áreas com brinquedos, como gêiseres, canhões e cortinas d’água e pequenos escorregas.

Na recepção, espaços amplos permitem que os visitantes troquem as suas cadeiras de roda pelas do parque.

Existem três tipos de cadeiras de roda à prova d’água. Uma delas, movida a ar comprimido, foi criada para atender pessoas que usem cadeiras elétricas.

Um outro modelo é para pessoas que precisam ser empurradas, e um terceiro modelo é para os visitantes que conseguem se mover sozinhos.

Com informações do Jornal O Globo.