Uber expulsa motorista que agrediu duas passageiras trans: vídeo

Motorista expulso pela Uber por transfobia - Fotos: reprodução / Twiiter
Motorista expulso pela Uber por transfobia - Fotos: reprodução / Twiiter

A Uber deu uma resposta imediata a um caso de transfobia que aconteceu esta semana em Brasília, no Distrito Federal. A empresa de aplicativos de transporte expulsou o motorista que agrediu duas passageiras trans.

Erika Muniz Araújo e Melissa Dias fizeram um vídeo no momento em que o homem notou que elas eram trans e mandou que elas descessem do carro.  ”Ele deu bom dia quando a gente entrou, mas cancelou a corrida e pediu pra a gente sair”, disse Erika em entrevista ao Jornal de Brasília.

Sem entender o motivo, elas questionaram e o homem disse que tinha cancelado a corrida e ia buscar outra pessoa. Elas não aceitaram e começou a confusão.

Em seguida, quando o motorista viu que estava sendo gravado, agrediu uma delas. É possível ver nas imagens que ele bate na mão, onde estava o telefone celular da passageira. (assista abaixo)

“Ele tomou o celular da mão da Melissa e pegou no pescoço dela”, afirmou Erika.

Note no vídeo que o motorista tem no peito uma corrente com um crucifixo de Jesus Cristo, que ensinou os seres humanos a amarem uns aos outros…

O vídeo foi divulgado no Twitter do deputado distrital Fábio Felix, do PSOL, na última quinta, 6.

 

A história

De acordo com o deputado, elas solicitaram viagem à Asa Sul, em Brasília, “mas teriam sido expulsas quando o motorista percebeu que eram duas mulheres trans”.

Fábio Felix afirmou que ligou para as duas vítimas e a Comissão de Direitos Humanos já está tomando todas as providências.

“Vamos acompanhar toda a investigação do caso junto à Decrin e contatamos a empresa Uber, que informou já ter iniciado a apuração do caso”, disse.

O deputado lembrou que “Transfobia é crime e atuaremos para que casos como este não sejam toleráveis ou fiquem impunes”.

Resposta da Uber

A Uber agiu rápido. A resposta veio no mesmo dia, horas depois.

A empresa informou em nota que expulsou o motorista porque não aceita discriminação.

A nota publicada pela revista Fórum diz:

“A Uber não tolera qualquer forma de discriminação em viagens realizadas em sua plataforma. Assim que recebemos a denúncia, banimos o motorista do aplicativo. Em casos dessa natureza, a empresa fica à disposição para colaborar com as autoridades e compartilhar informações sobre os envolvidos, observada a legislação aplicável”.

O motorista

Tentamos localizar o motorista para ouvir a versão dele, mas não conseguimos, até o fechamento desta matéria.

Crime

Apesar de transfobia e homofobia não serem a mesma coisa – um diz respeito à violência contra a identidade de gênero e o outro à orientação sexual – a criminalização da homofobia pelo STF, em junho de 2019, se estende a toda comunidade LGBT e também equipara atos transfóbicos ao crime de racismo.

Só pra lembrar, a Constituição garante direitos iguais a todos os brasileiros, inclusive no transporte público e quando um motorista aceita fazer corridas por aplicativo, o carro dele torna-se público.

Assista ao vídeo postado no Twitter do deputado:

Com informações da RevistaForum , Jornal de Brasília e Catraca

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no Facebook, TwitterInstagram e Youtube