Incor começa a usar respiradores desenvolvidos pela USP: Covid

Foto: divulgação / Governo de SP
Foto: divulgação / Governo de SP

O Incor, Instituto do Coração do Hospital das Clínicas de São Paulo começa a usar nesta quinta, 16, respiradores (ventiladores pulmonares) que foram desenvolvidos pela Escola Politécnica da USP, Universidade de São Paulo.

Os ventiladores, que receberam o nome de Inspire, serão usados em pacientes com o novo coronavírus.

Os respiradores foram desenvolvidos em apenas quatro meses por uma equipe de 200 pesquisadores, que receberam doações privadas de cerca de R$ 7 milhões.

O Incor vai utilizar dez desses ventiladores.

Produção

A expectativa é de que esses ventiladores comecem a ser produzidos em larga escala, após receberem autorização e cumprirem algumas exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Uma parceria entre o governo paulista e a Marinha prevê a produção de dez a 20 equipamentos por dia.

Esses ventiladores foram produzidos com custo reduzido e tecnologia majoritariamente brasileira.

No início do processo eles custavam em torno de R$ 1 mil. Mas com a alta do dólar e aumento de requisitos para a sua construção, os pesquisadores acreditam que o custo unitário gire agora entre R$ 5 mil e R$ 10 mil, sem considerar os impostos.

Um respirador disponível no mercado custa em média R$ 15 mil.

O equipamento produzido pela USP pode ser usado tanto em casos de média complexidade como nas ocorrências de infecção por coronavírus que exigem terapia intensiva.

Com informações da Agência Brasil