SENAI e indústrias já consertaram mais de 1.800 respiradores hospitalares

Respirador consertado - Foto: reprodução / SENAI
Respirador consertado - Foto: reprodução / SENAI

O poder da união! Subiu para 1.800 o número de respiradores consertados e devolvidos a hospitais pela rede voluntária de manutenção coordenada pelo SENAI. Os respiradores são essenciais para salvar vidas de pacientes da Covid-19.

Nesta segunda, 20, uma transmissão ao vivo nas redes sociais agradeceu aos mais de 700 voluntários envolvidos na iniciativa.

Desde o início da pandemia no Brasil, foram recebidos para conserto 3.919 ventiladores pulmonares. Desses, 1.082 estão em manutenção, 178 em calibração e 1.850 já foram devolvidos aos hospitais de 460 municípios de todos os estados.

O grupo voluntário é formado por SENAI, ArcelorMittalBMW GroupFiat Chrysler Automóveis (FCA)Estúdios GloboFordGeneral MotorsHondaHyundai Motor BrasilInstituto VotorantimInstituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e POLI-USPJaguar Land RoverMercedes-Benz do BrasilMoto HondaPetrobrasRenaultScaniaToyotaTrollerUsiminasValeVolkswagen do Brasil e Volvo do Brasil, com o apoio do Ministério da Saúde, do Ministério da Economia, do Ministério da Defesa, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e da Associação Brasileira de Engenharia Clínica (ABEClin).

“Essa inciativa deu uma demonstração clara de que a sociedade brasileira se une em torno de um propósito quando é bem construído, bem concertado entre parceiros, colocando a afirmação da vida à frente de qualquer outra questão”, afirmou o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.

Os postos

Em todos os estados brasileiros, existem 40 postos de manutenção de ventiladores pulmonares, essenciais no tratamento de doentes graves da Covid-19.

“O programa produziu e produz resultados que salvaram e continuam salvando vidas. As nossas 26 marcas de fabricantes de veículos do Brasil possuem orgulho muito grande de ter participado desse projeto”, afirmou Fabrício Biondo, primeiro vice-presidente da Anfávea, Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores.

Representantes da Petrobras e do Itaú Unibanco também participaram do evento.

“Nesse esforço, o importante que eu senti foi o espaço que a gente encontrou de não ser apenas uma empresa doadora de recursos financeiros, mas encontrar no SENAI a parceria que nos permitiu participar desse empreendimento, ajudar a estruturar as ações, tentar manter o máximo possível de centros de manutenção com recursos para que eles não ficassem parados”, disse Luís Claudio Moreira Pascoal, da Petrobras.

Lançado em abril para destinar mais de R$ 1 bilhão a ações médicas, o fundo Todos pela Saúde, também participou da iniciativa.

“Em nome do Itaú, mas principalmente do Todos pela Saúde, de todas as pessoas e empresas que também doaram a esse fundo, eu parabenizo a iniciativa e especialmente os voluntários. Não adiantaria nada a gente levantar fundos se não houvesse os voluntários para executar essas ações. Parabéns a todos os envolvidos”, elogiou a coordenadora de Relações Institucionais do Itaú Unibanco, Daniela Zen.

O poder da união

A agilidade com que o SENAI conseguiu mobilizar sua estrutura e articular a construção da rede voluntária foi elogiada pelo presidente do Instituto Votorantim, Ricardo Carvalho.

“As respostas foram muito rápidas, foi muito fácil darmos suporte, darmos recursos e ajudarmos o SENAI. Esse projeto foi um grande exemplo do que nós somos capazes de fazer juntos, um bom exemplo da capacidade do SENAI em ajudar em um momento desses, de forma que ficamos bem contentes de ter ajudado. Foi uma das principais frentes em termos de sucesso que nós tivemos”, afirmou.

O presidente da Associação da Engenharia Automotiva, Bessaliel Botelho, destacou ainda que a iniciativa + Respiradores continua a trabalhar para que a maior parte dos equipamentos recebidos retornem aos hospitais prontos para atender pacientes da Covid-19.

“Estamos em um processo que deve continuar, a demanda, a necessidade de apoio com equipamentos, com tecnologia. Eu vejo como um show de tecnologia para vida o que o empresariado brasileiro, de diferentes áreas e setores, está fazendo. A palavra é gratidão aos 700 voluntários que participam da ação”, afirmou.

“A sociedade brasileira, o mundo passa por um momento dramático, mas nós sabemos que com essa energia há uma afirmação da força, da fé, da solidariedade, da ciência e da capacidade que a humanidade tem de se unir em propósitos maiores”, concluiu o diretor-geral do SENAI no encerramento do evento.

Com informações do PortalDaIndústria