iFood contrata como programador motoboy do computador velho: injustiçado

Vitor Eleotério e o computador - Fotos: arquivo pessoal
Vitor Eleotério e o computador - Fotos: arquivo pessoal

As voltas da vida. Vitor Eleotério, 30 anos, vai ser programador na iFood, a mesma empresa onde ele trabalha hoje como entregador.

Tudo aconteceu depois que o trabalhador da comunidade do Vidigal, no Rio de Janeiro, perdeu uma vaga na área de programação em uma outra empresa – por ter um computador de 2012 e um celular ultrapassado, que não suportavam o peso do serviço. E ele fez um desabafo no Linkedin.

Vitor contou em entrevista ao SóNotíciaBoa que, depois disso, recebeu várias ofertas de emprego na área dele e aceitou o convite do iFood, onde faz bico: “Ainda não comecei… vou começar provavelmente em setembro. Meu trabalho vai ser 100% remoto, isso já foi passado oficialmente”, comemorou.

“Nossa! Tô muito feliz de ter mudado a minha vida, mas o maior ganho foi pra comunidade mesmo. A forma como as empresas passaram a enxergar diferente os processos seletivos, abrindo mais portas pra quem quer, merece e corre atrás da oportunidade”, disse.

Inspiração

Vitor está cursando Análise de Desenvolvimento de Sistemas na Universidade Veiga de Almeida, no Rio de Janeiro e disse que o caso dele já está inspirando outros moradores da comunidade.

“Um entregador do iFood virar software engineering, cara, isso dá esperança pra muita gente. Muita gente veio me falar que está voltando a estudar depois que viu a minha história. Isso também incentiva crianças”.

E lembrou que tem muito espaço na área de tecnologia, mesmo durante a pandemia.

“Parece que algumas pessoas não enxergam que talvez pobre também queira trabalhar com tecnologia, não queira só ser garçom, barman, cozinheiro, faxineiro, jardineiro. Tem pobre que quer trabalhar com tecnologia, ser um programador, desenvolvedor de jogos, designer gráfico. Eu acho que nas comunidades tem muito espaço pra tecnologia. É um setor que só cresce, mesmo na pandemia”.

E Vitor lembrou que tem muita gente capaz como ele nas comunidades.

“Dá pra achar isso nas comunidades. Dá pra juntar o útil ao agradável. Muita gente desempregada, muito pobre querendo mudar de situação e muita vaga na tecnologia. Dá pra mesclar isso aí, fazer algo novo e mudar a vida de muitas pessoas”, disse.

Convite

Na onda de notícias boas na vida dele, Vitor recebeu agora um convite para ser palestrante.
“Eu serei um dos palestrantes de um evento de tecnologia chamado Rio Info e o tema será Inclusão Digital. Eu vou participar da abertura do evento dia 15 de setembro”, concluiu.

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa