Para Bill Gates vida deve ‘voltar ao normal’ em abril após vacina

1296
Foto: reprodução StatNews
Foto: reprodução StatNews

Uma previsão otimista vem do cofundador da Microsoft, o bilionário Bill Gates.

Ele declarou durante entrevista ao Programa Today, da CNBC, que “a vida deve voltar ao normal”, até abril, após a vacinação contra a Covid-19.

Apesar do tom otimista, Gates afirmou que os próximos quatro ou cinco meses serão complicados e que é preciso ter atenção e continuar com medidas de cuidado.

“A coisa mais importante que podemos fazer agora é continuar a encontrar menos com as pessoas e usar máscara quando houver risco de exposição”, disse na entrevista.

Vacinas

Gates também afirmou estar empolgado com as vacinas e que ele irá tomar o imunizante assim que possível e que chegar sua vez na fila.

O alerta do executivo se dá em meio a uma ascensão de casos nos Estados Unidos, que vive uma segunda onda da Covid-19, conforme o inverno se aproxima no Hemisfério Norte.

Meta

Os planos americanos de vacinação em massa são bastante ambiciosos.

Eles pretendem vacinar 100 milhões de americanos nos próximos 100 dias, de acordo com Moncef Slaoui, principal cientista à frente da Operação Warp Speed.

A Warp Speed é uma iniciativa público-privada dos Estados Unidos para acelerar o desenvolvimento e a distribuição de medicamentos e vacinas contra a covid-19.

Cronograma

Em pronunciamento público feito na Casa Branca, ele anunciou o cronograma de vacinação.

Vinte milhões de americanos devem ser imunizados em dezembro, 30 milhões em janeiro e 50 milhões em fevereiro.

Outros países, como Reino Unido e México, já estão fechando acordos com algumas das fabricantes de vacinas.

Entre elas, a Pfizer, que produz uma versão do imunizante que deve ser mantida a temperaturas baixíssimas.

O Reino Unido, inclusive, foi o primeiro país a aprovar a vacina, e quer começar a ministrar doses a partir da próxima semana.

Brasil

No país, a versão preliminar do Plano Nacional de Imunização mostra que a vacinação será realizada em quatro fases , começando pela população idosa e indígena.

Contudo, o comunicado emitido pelo Ministério da Saúde não prevê qualquer data para o início da vacinação.

Com informações da Revista Exame e CNBC