Aprovado em Medicina, filho de faxineira faz campanha para ajudar no curso

655
O dinheiro arrecadado na vaquinha do André será usado na compra de equipamentos e materiais de estudo de Medicina - Foto: arquivo pessoal
O dinheiro arrecadado na vaquinha do André será usado na compra de equipamentos e materiais de estudo de Medicina - Foto: arquivo pessoal

Lembra do André Ramon, o filho de uma faxineira aprovado na graduação de Medicina, que emocionou a internet com um vídeo em que foi até o emprego da mãe para conta a novidade para ela?

Sim, o André, de 26 anos, passou na Universidade Federal do Acre (Ufac) e até dividir a notícia boa com a mãe, Vilenilde Arruda Maciel – que sempre foi um de seus maiores apoios – foram sete anos de tentativas, com muito estudo e persistência. André é o mais velho entre os sete filhos de Vilenilde.

Com a primeira vitória conquistada, a preocupação agora é garantir um início de curso tranquilo, já que as condições financeiras de André e sua família não são muitas e ele precisa se dedicar às aulas até conseguir auxílio estudantil da instituição. Por isso, com a ajuda de amigos, André montou uma campanha para receber ajuda em dinheiro, ou materiais para os estudos.

“O que já era difícil deve continuar pelo fato que minhas condições socioeconômicas não tendem a mudar até eu me formar. Dessa forma, precisamos que, quem puder, contribua para que possa estar adquirindo roupas (as aulas na UFAC tendem a voltar presencial em breve), computador, acesso à internet e materiais básicos para frequentar as aulas. Sua ajuda não precisa ser necessariamente em dinheiro”, explica no anúncio da postagem publicada no perfil do estudante do Instagram, o @andreramon730.

Comprar óculos

Como uma das primeiras retribuições ao carinho e esforço da mãe pela sua criação, André pretende usar uma parte do que for arrecado para comprar óculos de grau para a dona Vilanilde.

“Vou levar pra consulta em um oftalmologista. Era o que nós queríamos comprar, mas não tínhamos condições. E ela está bem ruim da visão no momento, não consegue enxergar direito. Então, quero aproveitar uma parte do valor e fazer isso logo por ela”, planeja.

As doações podem ser feitas através do perfil dele no Instagram ou via PIX registrado com a chave (68) 992228743, em nome da mãe, Vilenilde Arruda Maciel. Abaixo, relembre um pouco a trajetória de André que diz muito sobre não desistir dos sonhos.

Trajetória difícil, mas com apoio de amigos

O sonho de cursar Medicina parecia difícil para quem, como ele mesmo classifica, saiu de um Ensino Médio deficitário.

“Eu vim de um ensino público debilitado, sou ex-porongueiro. Não tinha muito acesso a vestibular – inclusive conclui o ensino médio em 2012 e fiquei o ano seguinte todo parado porque não sabia pra onde ir, não tinha noção do que era um vestibular”, relembra ele que começou a mudar a visão com a ajuda de um amigo, o economista Pablo Marques. “Me orientou e praticamente financiou todo esse meu sonho”, reconhece.

Antes da pandemia, André costumava estudar na biblioteca da Ufac mas, devido às normas sanitárias de prevenção ao coronavírus, o espaço foi fechado e ele ficou sem ter onde estudar, já que em sua casa não era possível.

“Perdi praticamente tudo, não tinha mais acesso à internet, biblioteca. A minha casa é de madeira e esquenta muito, além de que não tinha sinal de internet na época. Ficava muito difícil estudar. Foi quando contei com a ajuda de amigos outra vez. Um que mora na mesma rua que a minha cedeu espaço com um quarto, computador, internet e até ar-condicionado. Então, foi minha salvação nesse período da pandemia”, explica.

A ajuda vinda de amigos e conhecidos durantes todos esses anos foram cruciais para que André comemorasse a realização do sonho.

“Sempre falo que Deus colocou as pessoas certas no meu caminho e na hora certa, né? Se não fosse esse apoio eu não teria conseguido, assim como muitos amigos meus que eu conheci nessa jornada. Eles acabaram ficando no caminho, tendo seus sonhos abatidos aí na guerra por mudar de vida pela educação, desistindo de estudar por falta de condições”.

Ser exemplo

Além de dar uma vida melhor no futuro para sua mãe e irmãos, André quer que sua história inspire outras pessoas a persistirem em seus sonhos através da educação, mesmo que o contexto não seja tão favorável no momento.

“Acredito que a educação é uns dos únicos caminhos que a gente tem como garantia para mudar de vida. O primeiro sonho eu já consegui, que foi passar no curso. Agora eu tenho o segundo sonho que é construir a casa da minha mãe. E é, também, através da educação que eu vou conseguir”, finaliza determinado.

André foi até o trabalho da mãe para contar que foi aprovado em Medicina - Foto: arquivo pessoal
André foi até o trabalho da mãe para contar que foi aprovado em Medicina – Foto: arquivo pessoal
André e o amigo Pablo, um dos que mais o ajudaram nos últimos anos - Foto: arquivo
André e o amigo Pablo, um dos que mais o ajudaram nos últimos anos – Foto: arquivo pessoal

Fonte: Agência Educa Mais Brasil