Bebê com 420 gramas é o sobrevivente mais prematuro do mundo

528
Curti, o bebê com 420 gramas, agora tem 1 ano e é considerado o mais prematuro do mundo a sobreviver - Foto: arquivo pessoal
Curti, o bebê com 420 gramas, agora tem 1 ano e é considerado o mais prematuro do mundo a sobreviver - Foto: arquivo pessoal

Curtis Means nasceu em julho de 2020, com 5 meses de gestação, um bebê com 420 gramas. Na época, ele desafiou todas as expectativas médicas. Hoje, Curtis é considerado o bebê mais prematuro do mundo e completa 1 ano de vida.

O Dr. Brian Sims, que era o médico responsável pelo garoto, disse que as estatísticas mostram que crianças nascidas tão jovens praticamente não têm chance de sobrevivência. A equipe do UAB Hospital, em Alabama, Estados Unidos, chegou a conversar com a família sobre as raras chances de o bebê sobreviver, mas Curtis venceu essas probabilidades.

“Normalmente aconselhamos o atendimento compassivo em situações de partos prematuros extremamente prematuros”, disse o médico. “Isso permite que os pais segurem seus bebês e apreciem o pouco tempo que podem passar juntos.”

Acompanhamento médico

Curtis ficou internado por 275 dias no hospital, recebendo todos os cuidados médicos necessários. Ele precisava da ajuda para comer, atenção especial para movimentá-lo e muitos outros amparos que em casa podia gerar riscos.

A mãe do bebê, Michelle Butler, disse que nunca perdeu a esperança de ter o filho com ela e comemorou quando recebeu a notícia da alta hospitalar.

“Ser capaz de finalmente levar Curtis para casa e surpreender meus filhos mais velhos com o irmão mais novo é um momento que sempre lembrarei”, disse.

Recorde

Michelle estava grávida de gêmeos e entrou em trabalho de parto com apenas 5 meses de gestação. Ela foi atendida prontamente pela equipe neonatal do UAB Hospital e deu à luz Curtis e C’Asya.

C’Asya morreu um dia depois de nascer, mas Curtis resistiu. Ele ficou em respiradores por três meses e recebeu cuidados médicos 24 horas.

Em abril, Michelle pôde levá-lo para casa, mas precisará manter o acompanhamento por mais alguns anos.

“Não sabemos o que todo o futuro reservará para Curtis, já que não há ninguém como ele”, disse a mãe.

Curtis acabou entrando para o Guinness e Michelle considera que esse reconhecimento pode ajudar outras mães com bebês prematuros.

“Ele começou a escrever sua própria história no dia em que nasceu. Essa história será lida e estudada por muitos e, com sorte, ajudará a melhorar o cuidado de bebês prematuros em todo o mundo”, finaliza.

Veja como está Curtis hoje:

 

Curtis quando nasceu - Foto: arquivo pessoal
Curtis quando nasceu – Foto: arquivo pessoal

Com informações de AL.com