Tupi: a tv cassada na ditadura faria 61 anos

-
Por Bruno M.
Compartilhar
Imagem de capa para Tupi: a tv cassada na ditadura faria 61 anos
tupi|torre_band

 

 

Neste domingo, dia 18 de setembro, a TV Tupi teria completado 61 anos no ar. Ela entrou no ar em 1950.
A Tupi São Paulo foi a primeira emissora de TV da América Latina.
Infelizmente foi tirada do ar, cassada, em julho de 1980 pelo governo militar. A desculpa foram problemas financeiros e administrativos,que tantas emissoras tem até hoje e estão aí, operando livremente.
Eu reproduzo agora uma homenagem que fiz no antigo blog, no ano passado, quando a Tupi completaria 60 anos. Veja imagens do momento em que a emissora foi lacrada a mando do governo Figueiredo, o que suspeitavam os artistas da época, como eram as vinhetas da emissora, e os artistas que nasceram na Tupi e até hoje são campeões de audiência nas novelas brasileiras.
É uma viagem na história da televisão brasileira:

Se não fosse o governo militar, quem sabe, a TV Tupi ainda estaria na ativa. Eu era apaixonado por ela: inspiração pra mais tarde ser repórter e apresentador de tv. Desde pequeno torci muito pela recuperação da emissora do Sumaré, nos anos 70.  E chorei quando os transmissores foram lacrados em julho de 1980. O pioneiro Walter Foster explica aqui o motivo do fechamento da rede.

 

Inadimplência?? Dívidas trabalhistas?? Até hoje tem emissora no ar que não honra seus compromissos com o governo e os trabalhadores, e como eu disse, continua no ar. Foi retaliação do governo militar, que não gostava de Assis Chateaubriand. E ainda censurava os programas daquele período sombrio brasileiro. Veja na vinheta:

 

Foi o então presidente Figueiredo quem assinou o decreto que extinguiu a primeira emissora de televisão da América Latina e sepultou a maior obra do visionário Assis Chateaubriand, criador dos Diários Associados. Veja a reportagem história da band, mostrando o momento em que os transmissores da Tupi foram lacrados.

 

Olha o Assis Chateaubriand aqui, na inauguração da emissora!! Pensar que eu fui no enterro dele, ainda criança, carregado nos braços pela minha avó materna. Vai ver que vem daí meu fascínio pela história da Tupi.

 

A TV Tupi nasceu com tanta garra, tanta ousadia. E terminou assim:

 

Uma pena. Ficaram a saudade, a lembrança dos programas e os profissionais que lá nasceram. Veja na abertura da novela A Viagem quantos nomes de artistas da Tupi você assiste até hoje por aí, como Eva Wilma e Irene Ravache…

Aqui, 1975: Tony Ramos, hoje o Totó de Passione, ainda mocinho, com Elaine Cristina…. A eterna rivalidade das irmãs Ruth e Raquel, de Mulheres de Areia, de Ivani Ribeiro, vividas na Tupi por Eva Wilma, em 1973, que agora a Globo volta a transmitir em Vale a Pena Ver de Novo. Aqui 1969: ainda jovem, Aracy Balabalian, a Gemma da novela Passione, e Luiz Gustavo, como Beto Rockfeler. Eles foram mostrados em um programa anos mais tarde, em outra emissora, apresentado por Marcelo Tas, do CQC, ainda magrinho e sem a famosa careca. A saudade da Tupi é tanta, que já há quem pense em reinventar a emissora, na era HD. Veja essa vinheta que um apaixonado pela emissora fez: A boa provocação está lançada novamente, Diários Associados, Álvaro Teixeira da Costa!!. Emissoras para recomeçar e montar uma nova rede nacional vocês tem em várias partes do Brasil.