Boneca negra desbanca Barbie: autoestima

1790
Foto: divulgação/Reuters||
Foto: divulgação/Reuters||

Um empresário teve uma brilhante ideia para aumentar a autoestima das meninas da África e fazer com que elas aceitem sua beleza.

Ele criou uma boneca negra, para competir com a Barbie – inclusive no preço – e conseguiu.

Elas custam 5 dólares, cerca de 11 reais, 6 vezes menos que a versão mais barata da boneca mais famosa do mundo.

Com a maior população de crianças negras no mundo, as bonecas de Taofik Okoya, as Queens of Africa – Rainhas da África, já são mais vendidas que as Barbie, na Nigéria.

O projeto consiste em uma série de bonecas negras, inspiradas em grandes mulheres da história africana, vestidas com trajes locais relacionados à cultura do continente.

E não é só uma questão de mercado.

Foi um grande avanço cultural, porque muitas famílias tinham resistência a comprar bonecas, por considerá-lo um brinquedo elitista.

Aceitação
Okoya sempre se mostrou preocupado com o comportamento de sua filha, que tinha imensas bonecas brancas e cujas personagens preferidas eram todas brancas, ao ponto de ela se imaginar branca também.

Um dia a criança perguntou ao pai como ela era, ao que Okoya prontamente respondeu “negra”.
Como seria de esperar, a menina disse que preferia ser branca.

Desde então, ele vem tentando mostrar que existem vários tipos de culturas e pessoas, e que elas não são iguais, e que isso é maravilhoso.

Okoya entendeu que a melhor forma de acessar a mente das crianças é através da brincadeira, e que as meninas se desenvolvem mais rápido que os meninos e são mais propensas a viver o que veem.

Além disso, Okoya conta que na Nigéria existe uma preferência por meninos em relação às meninas, o que culmina em investir mais neles do que nelas, por isso seu foco, neste momento, são as meninas.


A ideia
Taofik Okoya, precisou comprar uma boneca para sua sobrinha.
Nessa altura, o empresário percebeu que todas as bonecas eram brancas e caras e começou a refletir sobre o valor que isso teria para o futuro de meninas, como sua sobrinha, que são as futuras mulheres e que podem fazer coisas extraordinárias pela África.

“Meu objetivo é mudar a realidade de milhares de crianças com brinquedos próximos de sua realidade”, disse.

Com informações do Hypeness
Acesse aqui a página do Queens Of Africa, no Facebook