Pizza saudável: sem sódio e não sobe glicemia

1617
Fotos: SnB||
Fotos: SnB||

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa

Um chef de cozinha desenvolveu no coração do Brasil pizzas de fazer inveja aos mestres italianos.

O que mais chama a atenção é a massa: ela não causa sensação de inchaço no estômago, porque é feita com farinha de trigo “00”, importada da Itália.

Sem mutações genéticas, como a brasileira, essa farinha também não aumenta a glicemia, o terror dos diabéticos.

A massa ainda é boa para quem tem hipertensão: o sal usado não tem sódio, é o Flor de Sal, colhido a mão. Custa 48 reais o quilo, contra 2,50 do sal comum.

A água usada na massa é especial para pizza. Colhida em baixíssima temperatura, ela tem menos toxinas e quantidade menor de deutério, que é um metal pesado.

E nada de ovos, leite, nem óleo.  A pizzaria só usa azeite com até 0,2% de acidez e manteiga clarificada. Com um toque: linhaça e farelo de aveia na massa.

O Chef Dan Camillo (foto abaixo) que faz questão desses mínimos detalhes, usa no molho apenas tomate italiano, o pomodoro basílico. Nada de pomarola, nem de tomate comum.

E faz toda a diferença depois que a pizza passa pelo forno a lenha e chega ao prato leve e crocante.
“Nós queremos segurar cliente pela qualidade, disse ele em entrevista ao SóNotíciaBoa.

Formado em gastronomia no Uniceub, o chef brasiliense de 36 anos passou pela cozinha francesa e fez estágio em pizzaria de São Paulo antes de abrir seu próprio negócio no Lago Sul, em Brasília, há 5 meses.

pizzaria_camillo_close_3

Padronizacão
Simpático, ele adora explicar aos clientes como criou e como prepara suas pizzas.
E quando o assunto são ingredientes, ele é exigente.

O Chef corta tomatinhos na hora, para não perderem os nutrientes.
Ele usa requeijão cremoso, sem amido ou gordura vegetal, “esses venenos da natureza”, diz.

“Se eu tiver que usar um queijo que não estiver entre os 3 que eu uso, eu não abro a pizzaria”, avisa.

Ah, catchup na pizza – muito comum em Brasília, no Rio e no nordeste – é um crime. Nem adianta pedir porque não tem na pizzaria. “Eu sigo muito o estilo paulistano”, confessa Dan Camillo.

Segurança alimentar
Para fornear a pizza o Chef usa uma pá de aço cirúrgico, que mandou fazer especialmente para evitar a chamada contaminação cruzada. “Eu adotei muita segurança alimentar”, ressalta.

Todos os alimentos da cozinha são refrigerados abaixo de 5 graus para evitar contaminação. “Meu molho também está abaixo de 5 graus”,  lembra.

pizzaria_camillo_close_2

Provou, voltou
A pizza gastronômica vai ganhando clientes igualmente exigentes.

O advogado paulista Carlos Serqueira, que está em Brasília há 7 anos, ficou impressionado: “Esta pizza aqui tá no nível de São Paulo, do Bixiga”, disse.

A mulher dele, a analista tributária Ana Lúcia Camilo Serqueira, também paulista, conta que descobriu a pizzaria por acaso e depois de experimentar, voltou 6 vezes. “Eu acho a massa dela mais leve. Eu fico com vontade de comer mais”, disse .

A psicóloga Milene Ikeda, do Pará, concorda: “A massa é muito gostosa e leve. Eu que só como 1 pedaço, aqui como uns 3”, revela.

Sabores criados
Além do carro-chefe, que é a massa, e dos sabores tradicionais, o chef brasiliense desenvolveu pizzas diferentes como a de calabresa com cebola caramelizada; a toscana com alho poró;  3 cogumelos com mussarela de búfala;  e a de 4 queijos com bacon crocante e sequinho.

A casa
A Pizzaria Dom Camillo ainda está sendo descoberta pelos moradores do Jardim Botânico, em Brasília.
Por enquanto é uma casa pequena, que tem mesinhas de madeira do lado de fora.

Ela fica escondida numa espécie de vila aconchegante, com tijolinhos à vista, num pequeno beco ao lado do Shopping Jardim Botânico.

Serviço
Pizzaria Dom Camillo
Av. Comercial do Jardim Botânico, ao lado do Shopping Jardim Botânico
Lago Sul – Brasília/DF
Delivery: 61-4103-4228/ 4229