Bicicleta à prova de roubo: começa produção

1329

A primeira bicicleta à prova de roubo do mundo começa a ser produzida.

Ele tem uma armação que pode ser desmontada e reconectada para formar um bloqueio, uma espécie de cadeado gigante, em torno de qualquer árvore, poste ou bicicletário, em apenas 10 segundos.

Como a estrutura é feita de aço, a única forma de tirar a bicicleta de onde ela está conectada é cerrando a mesma, o que a tornaria inútil.

Produção

A bike segura foi desenvolvida por três jovens empresários chilenos, vítimas de ladrões, como mostramos no SóNotíciaBoa em 2014.

Andrés Roi, Juan Monsalve, Christopher Cabello, alunos da Universidad Adolfo Ibáñez, no Chile,  conseguiram um investimento de US$ 100.000 – cerca de 400 mil reais – de um fundo estatal para a fase de pesquisa e desenvolvimento.

Depois eles entraram no site de crowdfunding Indiegogo para vender seu primeiro lote.

300 das bicicletas foram colocadas em produção, após a criação de um protótipo bem sucedido,

Vendas

O produto, conhecido como Yerkas, foi comprado 197 vezes.

“Escolhemos crowdfunding porque é a maneira mais fácil de levar o produto a todo o mundo”, explica Cabello, CEO da start-up.

“É uma página internacional e bem conhecida, e os clientes podem pagar com segurança com um cartão de crédito”.

Os componentes mecânicos da bicicleta são feitos em Taiwan, e a estrutura na China. A montagem foi confiada a uma fábrica especialista em Xangai.

Preço

A start-up vendeu as primeiras 100 bicicletas por US$ 400 (cerca de R$ 1412), e em seguida aumentou o preço para US$ 500 (cerca de R$ 1765).

No futuro, o produto deve subir para US$ 600 ou mais (cerca de R$ 2120), dependendo de onde você estiver comprando. A maioria comprada por norte-americanos.

O custo das entregas globais deixou os fundadores de Yerka sem lucros com o primeiro lote.

Cabello diz que 50% do preço foi em produção, os outros 50% na distribuição, administração e custos legais para patentes.

Investimento

Agora estão buscando investimento de US$ 1 milhão de financiadores nacionais e internacionais.

“Nos próximos quatro anos, o nosso objetivo é vender quase 300 unidades por mês em todo o mundo. Mas a meta mais importante é que os clientes digam: ‘Esta bike é ótima. Nós amamos a bike que você nos vendeu e vamos contar para todo mundo’”, diz Cabello.

Com informações da CNNHypescience e EngenhariaE