Raimundo, 100 anos, nenhum ponto na carteira de motorista

769
Foto: Giovanna Bembom / Metrópoles
Foto: Giovanna Bembom / Metrópoles

Um exemplo de motorista! No ano passado seu Raimundo Inacio Gonçalves, de 100 anos, não teve um ponto sequer na carteira. Nenhuma infração de trânsito.

Ele renovou o documento no fim do ano passado e está orgulhoso da raridade.

Em anos anteriores Raimundo garante que teve duas ou três multas e diz que foram responsabilidade do neto, que pegou o carro emprestado.

“Evito dirigir em lugar movimento, pois se acontecer um acidente vão colocar a culpa em mim, mesmo se não for minha, só porque eu sou velho“, disse ao Metrópoles.

Seu Raimundo conta que percorre distâncias curtas de carro para visitar filhos, que são seus vizinhos.

Ele também tem um sítio no Núcleo Rural Taboquinha, a 20 km do Congresso Nacional, onde aproveita para guiar tranquilo dentro da propriedade e nas ruas próximas.

História

Avô de mais 30 netos, 20 bisnetos e tataranetos, ele mora em Taguatinga, a 30 km de Brasília.

Caminhoneiro aposentado, Raimundo recebeu um diploma de bom motorista dado pelo órgão de trânsito de Brasília em 1978, que ele exibe no vidro traseiro de seu Uno Mille.

Mineiro de Cajuri, o idoso ajudou a construir Brasília. Chegou sozinho na nova capital em 1958, em busca de uma vida melhor.

Na cidade ele conheceu o pioneiro, Baltazar Rodrigues, o Tazinho, que lhe deu um caminhão para transportar material para as obras da construção da cidade e também levar candangos ao serviço.

Segredo

O segredo da longevidade do aposentado de 100 anos é meio difícil de engolir.

“De manhã, bato no liquidificador uma Caracu (cerveja preta), um ovo com casca e tudo, uma paçoca e canela. É uma delícia”, afirma.

Raimundo não tem doenças crônicas nem toma remédios. Não gosta de visitar o médico e prefere tratar-se com ervas medicinais.

No dia 27 de abril, ele completará 101 anos.

Com informações do Metrópoles