Prédio feito com contêiner reciclado: barato e não aquece

1267
Foto: Hildeberto Jr./G1||
Foto: Hildeberto Jr./G1||

Contêiner pode ser uma alternativa pra moradia barata e ecologicamente correta.

Um empresário de Piracicaba, no interior de São Paulo, trouxe uma ideia interessante da Holanda.

São prédios feitos com contêineres reciclados, que não são quentes – por terem tratamento especial – e têm um aluguel mais barato.

Antônio Carlos Leão investiu um milhão de reais na construção de um condomínio de prédios feitos com o material.

Ele fez uma moradia para estudantes e trabalhadores que vem de fora da cidade.

O empreendimento é formado por 28 apartamentos distribuídos em dois prédios de quatro andares.

A ideia

“Eu vi esse tipo de construção em Amsterdã, na Holanda. Lá tem o maior condomínio de contêineres do mundo. São 1.000 apartamentos. Eu visitei esse lugar, aprimorei as ideias deles e resolvi fazer aqui em Piracicaba”, conta Leão.

E o melhor de tudo é o valor do aluguel. Algumas unidades de dois quartos tem preço médio de R$ 780.

Inaugurados há seis meses, os 28 apartamentos são mobiliados e possuem 28 metros quadrados.

Sem calor

Uma outra vantagem é que o calor deixou de ser um problema nesse tipo de construção.

As unidades são feitas com contêineres reciclados revestidos com camadas de isopor e gesso, o que impede que o sol entre em contato com o metal e aqueça o ambiente.

conteiner3

Aprovado?

Um dos primeiros moradores do local é Edimar Barbosa, de 29 anos, que é de Santa Cruz do Rio Pardo (SP) e se mudou para trabalhar com representação de tintas em Piracicaba há oito meses.

Ele diz que optou pelo apartamento de contêiner pelo preço mais barato do aluguel em relação às construções convencionais.

“É pequeno, mas bem aconchegante. Acho ideal para quem está começando uma vida nova na cidade, porque é todo mobiliado e o preço é relativamente mais acessível. Só dá para perceber que não é uma apartamento de alvenaria, por causa da parte externa”, afirma o morador.

Foto: Hildeberto Jr./G1
Foto: Hildeberto Jr./G1

Novos investimentos

Empolgado com o investimento, o empresário pretende construir mais 40 unidades no espaço e cogita expandir os negócios para outras cidades universitárias do interior de São Paulo.

Com informações do G1