Colégio quer acabar com distinção de gênero e uniforme

733
Highgate School - Foto: reprodução / Facebook
Highgate School - Foto: reprodução / Facebook

Uma escola, que há 10 anos era exclusivamente masculina, agora quer adotar uniformes sem distinção de gênero. E banheiros também!

O colégio londrino Highgate School, um dos mais famosos da capital inglesa, acena com mudanças na forma de encarar os limites entre masculino e feminino dentro da sociedade.

A ideia é acolher os alunos e alunas que estejam questionando sua identidade de gênero. Assim, garotos poderiam usar saia, por exemplo, sem nenhum problema.

A medida polêmica está sendo discutida entre os pais do colégio, que cobra 20 mil libras por ano de cada aluno – o equivalente a cerca de R$ 80 mil, ou mais de R$ 6.600 mil por mês.

Em 2016 mais de dois mil estudantes com menos de 18 anos procuraram a Clínica de Identidade de Gênero, em Londres.

Esportes

Fazem parte dos planos da escola também instituir banheiros neutros e acabar com a divisão de modalidades “masculino” e “feminino” nos esportes.

Haverá ainda um evento chamado “Adolescente em desenvolvimento”, que reunirá profissionais de outras escolas para discutir como os professores devem lidar com as questões de gênero dentro da sala de aula.

Atualmente, os estudantes transexuais que estudam na Highgate School podem ser tratados pelo nome social.

Atualmente, seis jovens já fizeram o pedido e um estudante já obteve o direito de usar vestido.

“Se os meninos se sentirem mais felizes e seguros usando saias, vai ser uma boa medida”, disse o diretor, Adam Pettitt,.

Com informações do G1