Marca de sorvetes da Suíça entra no mundo dos vinhos

630
Foto: Ninna Crot|Stefan Flückiger
Foto: Ninna Crot|Stefan Flückiger

A Mövenpick, conhecida pelos sorvetes deliciosos, vai expandir para o mundo dos vinhos.

No mercado desde 1948, a marca vai levar seu know how para boutiques-adegas requintadas de vinhos.

Cellier, uma pequena vila do estado de Fribourg, acaba de receber a mais nova filial da boutique de vinhos da Mönvepick.

À frente deste grande investimento está Stefan Flückiger, 33 anos, formado pela Escola Hoteleira de Genève e Dominik Brändli, que é responsável pela Mövenpick na Suíça francesa.

A ideia é dar consultoria em atendimento e aconselhamento competente e personalizado em duas línguas: francês e alemão.

A boutique conta com mais mil vinhos de variedade mundial com degustações diárias gratuitas, serviço de transporte personalizado pra funcionários e clientes, seminários regulares de enologia, eventos e áreas turísticas.

Na Mövenpick Cellier é possível encontrar uma seleção de pequenas e grandes garrafas, de vinhos de diversas regiões, ideal para uma ou várias pessoas.

Tem também uma sala climatizada com mais de 150 vinhos premium.

 Stefan Flückiger, 33 anos, formado pela Escola Hoteleira de Genève e Dominik Brändli da Mövenpick na Suíça francesa Foto: Nina Crot
Stefan Flückige e Dominik Brändli da Mövenpick na Suíça francesa Foto: Ninna Crot

Apostando em novos sabores

Os especialistas Mövenpick  buscam vinhos de novas regiões vinícolas para apresentar aos seus clientes.

A oferta fica para o público varejista e profissionais da restauração.

Seminários de enologia em todas as principais regiões vinícolas são regularmente oferecidos em cooperação com a Academia do Vinho.

Além disso, a Mövenpick Vins é a  representante exclusiva na Suíça e tem uma série de excelentes produtores incluindo a própria Suíça.

A safra vem das Américas do Sul e Norte, Austrália, África do Sul, França, Áustria, Alemanha, Espanha, Portugal, Itália, Hungria, e Líbano.

Segundo Ueli Prager, o fundador da Mövenpick, o segredo do negócio é bem simples:  “Nós não fazemos nada de extraordinário. Somos bem sucedidos, porque fazemos as coisas muito normais de uma forma extraordinária.”

Foto: Ninna Crot
Foto: Ninna Crot
Foto: Ninna Crot
Foto: Ninna Crot

Amantes de vinho

Tudo isso pode ser degustado e está disponível on-line.

Na Suíça cada vez mais boutiques-adegas de luxo Mövenpick são criadas.

Segundo a filosofia da Mövenpick Vin, o objetivo não é só vender vinhos mas, também, introduzir a cultura do vinho e satisfazer o paladar dos amantes de vinhos.

As boutiques-adegas Mövenpick têm uma gama muito ampla, incluindo mais de 1.200 vinhos diferentes de raridades internacionais com preços que variam de 20 francos a 7 mil francos, ou seja, entre 60 reais e 26 mil reais.

No topo do ranking

Com aproximadamente 7,8 milhões de habitantes, a Suíça ocupa o 25° lugar na produção mundial de vinhos e figura no grupo dos 20 maiores fabricantes desta nobre bebida.

Possui 26 cantões (estados), como são chamadas as regiões suíças compostas de partes francófonas (Berna, Valais e Friburgo).

Valais, região de destaque por ser uma das que produzem vinhos da melhor qualidade e maior identidade.

Tem cerca de 5.259 hectares de vinhas plantadas pelos Alpes, em locais de clima ameno e é responsável por 40% da produção, insuficiente para atender ao mercado interno que importa 60% de seu consumo.

A Suíça produz, hoje, mais vinhos tintos (55%) do que brancos (45%).

A produção anual ultrapassa 1,2 milhão de hectolitros, dos quais pouco menos de 1% é exportado.

O restante, o próprio país se encarrega de consumir, ou seja, cada habitante “degusta” em torno de 40 litros e a preferência fica para o vinho tinto, o mais apreciado.

Cercada pelos mais destacados e tradicionais países produtores, a Suíça acaba não gerando tanto vinho quanto a sua latitude poderia sugerir, pois boa parte do país é alta demais e, portanto, muito fria, fator que impede o desenvolvimento satisfatório das videiras para efeito de produção em larga escala.

Por Ninna Crot, da Suíça para o SoNotíciaBoa