Fundação de Bill Gates paga dívida da Nigéria com poliomelite

994
Foto: Reprodução Quartzo
Foto: Reprodução Quartzo

Bill e Melinda Gates deram um passo extraordinário para ajudar a Nigéria.

A fundação do casal pagará um empréstimo de 76 milhões de dólares – quase 247 milhões de reais – que a Nigéria precisou pedir ao Japão para ser usado na luta contra a poliomielite.

O empréstimo foi realizado em 2014 e os reembolsos deveriam começar este ano. Um porta-voz da Fundação Gates confirmou o reembolso do empréstimo em um e-mail para o site Quartz.

A notícia surge quando a Nigéria está prestes a se livrar da pólio e completar mais um ano sem a descoberta de novos casos. Em 2017 não houve registro da doença.

Motivo

A Fundação resolveu ajudar pra que esse progresso continue no país, para erradicar a doença de uma vez por todas.

Muito diferente de 2012, quando a Nigéria representava mais da metade de todos os casos de poliomielite em todo o mundo.

Em agosto de 2016, a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou a descoberta de dois casos no incomodado nordeste de Nigéria.

Isso aconteceu quando a Nigéria comemorava o segundo ano sem casos de poliomielite e estava perto de confirmar a erradicação da doença.

Esse progresso, particularmente na última década, viu o número de casos anuais reduzidos de centenas para dezenas.

Desde 2014, apenas 10 casos foram confirmados em toda a Nigéria, de acordo com dados da OMS.

A Poliomielite

A poliomielite não tem cura, mas pode ser erradicada.

Ao contrário de várias outras doenças, o vírus da poliomielite não pode viver dentro de um hospedeiro animal e só sobrevive por dois meses fora do corpo humano .

A chave para acabar com a doença é a imunização consistente e generalizada.

Mas a guerra civil no nordeste da Nigéria continua sendo um grande obstáculo.

Apesar de os progressos realizados pelo exército da Nigéria, há várias partes da região impedindo a imunização e deixando algumas crianças em risco da doença permanecer fora do alcance.

A intervenção da Fundação Gates é oportuna para a Nigéria, já que a economia do país está começando a se recuperar da sua primeira recessão em mais de duas décadas.

Em todo o país, os governos estaduais têm lutado para pagar os salários dos trabalhadores e o governo federal é confrontado com o déficit de um orçamento recorde de US $ 23,9 bilhões em 2018, mediante empréstimo externo.

Com informações da Quartz/MSN