Escolas abrem só para dar comida a alunos carentes: coronavírus

Cartaz do CIEP Gilberto Freyre - Foto: reprodução / Instagram
Cartaz do CIEP Gilberto Freyre - Foto: reprodução / Instagram

Escolas brasileiras suspenderam as aulas por causa do coronavírus, mas algumas, em regiões mais pobres, estão abrindo apenas para servir alimentação porque sabem que os estudantes que não têm comida em casa.

É o caso do CIEP Gilberto Freyre, em Senador Camará, no Rio de Janeiro, que anunciou em cartaz almoço das 11h às 13h até o dia 20, apesar das aulas suspensas.

Já no Distrito Federal, alunos de baixa renda da rede pública vão receber bolsa alimentação durante o período de suspensão das aulas e não precisarão ir até a escola para comer.

O governador Ibaneis Rocha assinou um decreto publicado no Diário Oficial neste domingo, 15, que diz:

“Os alunos da rede pública de educação, cadastrados e beneficiados no Bolsa Família, no período de suspensão das aulas continuarão tendo direito à alimentação escolar”.

O dinheiro será disponibilizado por meio do Cartão Material Escolar.

Valores

No total, cerca de 70 mil famílias receberão o benefício da refeição.

O valor será transferido às famílias conforme a situação de cada aluno, apurada no cadastro da Secretaria de Educação, de acordo com três faixas:

  • alunos que fazem uma refeição na escola terão direito a R$ 59,70, para os 15 dias de suspensão;
  • alunos que fazem duas refeições na escola terão direito ao valor de R$ 119,40;
  • e os que fazem três refeições terão direito a R$ 179,10

Com informações da AgênciaBrasil

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no: