Vacinação contra gripe começa nesta 2ª feira: idosos primeiro

Foto: arquivo/ Lucas Cabral/PMSJC|Foto: arquivo/ Lucas Cabral/PMSJC
Foto: arquivo/ Lucas Cabral/PMSJC|Foto: arquivo/ Lucas Cabral/PMSJC

A vacinação contra a gripe, antecipada este ano, começa nesta segunda-feira, 23. A novidade é que o Ministério da Saúde inverteu a ordem de público-alvo da campanha.

Os idosos serão os primeiros a receber a dose, logo na primeira fase, junto com trabalhadores de saúde, que estão na linha de frente do atendimento à população.

“A decisão da pasta é mais uma medida de proteção a esses públicos, em especial aos idosos, já que a vacina é uma proteção aos quadros de doenças respiratórias mais comuns, que dependendo da gravidade pode levar a óbito. Outra preocupação é evitar que as pessoas acima de 60 anos, público mais vulnerável ao coronavírus, precise fazer deslocamentos no período esperado de provável circulação do vírus, no país”, informa o site do Ministério da Saúde.

Este ano a vacina contra a gripe será oferecida a partir dos 55 anos de idade. Até 2019 era dada para pessoas a partir dos 60.

Como todo ano, a vacinação é gratuita e a dose poderá ser tomada no posto de saúde mais próximo, de acordo com as etapas definidas pelo governo. .

Etapas da vacinação

Primeiro, devem ser vacinados idosos, com mais de 60 anos e profissionais da saúde.

Do ponto de vista epidemiológico, as crianças são consideradas multiplicadoras de vírus respiratórios e, por isso, o PNI distanciou um público do outro. Serão duas semanas de intervalo entre uma fase e outra.

Na segunda fase da campanha, que começa dia 16 de abril, entram doentes crônicos, os professores, profissionais das forças de segurança e salvamento.

A partir de 9 de maio, Dia D de vacinação, serão vacinadas as crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), pessoas com mais de 55 anos, gestantes, mães no pós-parto (até 45 dias após o parto), população indígena e portadores de condições especiais.

A campanha seguirá até o dia 23 de maio.

A vacina

Embora a vacina não proteja contra o novo coronavírus (SARS-CoV2), a intenção é evitar “a espiral de epidemia de outros vírus que pode ocorrer e confundir muito a população”, disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

“Nessa síndrome gripal do coronavírus são exatamente as pessoas de mais idade que têm uma letalidade maior. Essa campanha é pensada sempre acima de 60 anos. Este ano, vamos fazer outros grupos que não só os idosos. […] Forças de segurança, população presidiária completa, agentes penitenciários, para diminuir a circulação epidêmica.”

A estratégia é diminuir a quantidade de pessoas gripadas no inverno, mas a campanha também vai ajudar os profissionais de saúde a diagnosticarem mais rápido o coronavírus.

“O médico, sabendo que o paciente já foi vacinado contra a influenza, vai investigar outras causas. Isso contribui”, avaliou Wanderson Kleber de Oliveira, secretário de Vigilância em Saúde.

https://youtu.be/FzcuVghLwRs

Com informações do Ministério da Saúde e SnB

Espalhe notícia boa nas suas redes sociais. Siga o SNB no:

Instagram

Facebook

Twitter

Youtube