Oxford convoca 10 mil pessoas pra testar vacina contra covid

Foto: Instituto Jenner da Universidade de Oxford, onde uma pesquisa começou em janeiro Foto: reprodução Daily Mail
Foto: Instituto Jenner da Universidade de Oxford, onde uma pesquisa começou em janeiro Foto: reprodução Daily Mail

Milhares de voluntários estão sendo recrutados para as próximas duas fases de ensaios clínicos que podem levar a uma vacina contra o coronavírus ainda este ano. 

Os cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, convocoram 10.260 pessoas de toda a Grã-Bretanha para fazer os testes de imunização.

Os pesquisadores, que começaram a desenvolver a AZD1222 em janeiro, agora são considerados pioneiros na corrida mundial pela vacina contra a COVID-19.

A empresa AstraZeneca, que vai fabricar as vacinas, garante que começará a fornecer bilhões de doses em setembro. 

Na primeira fase do estudo, a vacina se mostrou segura em 160 voluntários saudáveis, com idades entre 18 e 55 anos, que tomaram a dose.

Fases

As fases II e III aumentam o número de voluntários e vão expandir a faixa etária para incluir idosos, que correm mais risco de adoecer gravemente com a infecção. 

Os cientistas vão avaliar se a vacina provoca uma resposta do sistema imunológico, antes de verificar se ela pode impedir que as pessoas sejam infectadas.

“Os estágios iniciais do estudo da Fase I foram muito bons e agradecemos aos muitos voluntários de Southampton que se apresentaram para nos ajudar a avaliar a segurança da nova vacina e se pessoas saudáveis ​​podem ser protegidas do Covid-19”, disse Saul Faust, professor de imunologia pediátrica e doenças infecciosas da Universidade de Southampton.

“Gostaríamos agora de convidar pessoas da área de Southampton, que trabalham em contato com pacientes da Covid, saudáveis ​​e grupos etários mais velhos, para participarem da próxima etapa dos testes com a vacina Covid de Oxford.”

“Este é um dos únicos quatro ensaios de vacinas em andamento em todo o mundo e pode abrir o caminho para uma vacina ser entregue ainda este ano”, comemora.

Público alvo

Inicialmente, os pesquisadores pretendem recrutar até 620 novos voluntários em três categorias:

  • 250 pessoas com idades entre 18 e 55 anos, que entraram em contato ou possível contato com pacientes do Covid-19 devido ao seu trabalho, como profissionais de saúde e cuidados de saúde, produtos de limpeza e dentistas
  • 120 pessoas saudáveis, com mais de 70 anos
  • Outro grupo saudável de 250 pessoas com pelo menos 55 anos

Os pesquisadores vão avaliar a resposta imune à vacina, em pessoas de diferentes idades, para determinar como o sistema imunológico responde em pessoas idosas ou crianças.

A fase I envolveu voluntários adultos saudáveis ​​para verificar se a vacina era segura. Foram distribuídas cerca de 1.000 doses. 

Produção já começou

A produção da vacina já foi ampliada antes do resultado, para preparar o mais cedo possível uma possível implantação futura, disse a Universidade de Southampton.

A AstraZeneca anunciou nesta semana que tem capacidade para fabricar um bilhão de doses da potencial vacina Covid-19 da Universidade de Oxford e que começará a fornecer em setembro

A empresa, com sede em Brentford, assinou um acordo para produzir em massa o promissor jab COVID-19 da Universidade de Oxford e tem acordos para fornecer já 400 milhões de doses.

As autoridades de saúde dos EUA – que gastaram 1 bilhão de dólares, cerca de 5 bilhões de reais, no financiamento da vacina – pediram 300 milhões de doses e esperam receber em outubro.

Com informações do Daily Mail