Escola rural inclusiva ensina pais e filhos com necessidades especiais de graça

Alunos da escola rural inclusiva - Foto: divulgação
Alunos da escola rural inclusiva - Foto: divulgação

No meio de uma chácara, no coração do Brasil, uma escola rural mostra o que é realmente educação inclusiva. Lá a família inteira pode estudar de graça, desde os 5 meses até a terceira idade.

No mesmo espaço ficam pais e seus filhos, jovens e crianças. E não importa se alguém tem alguma deficiência física, mental, visual ou auditiva. Todos têm oportunidade de aprender e se socializar.

Lá a segunda língua é Libras, a Língua Brasileira de Sinais, para que todos possam se comunicar igualmente. A Escola Rural Maria Teixeira fica em Luziânia, Goás e foi criada por uma família há 25 anos.

“O amor é capaz de educar, ensinar e acolher. O amor não enxerga barreiras, limitações, nem mesmo porteiras e mata-burros!” Foi o que Silvana Patrícia de Vasconcelos mostrou para Iara e Eduardo, os Caçadores de Bons Exemplos, que visitaram o local.

Silvana é fundadora e responsável pela escola.

A ideia

Junto com sua família e amigos, ela transformou a chácara de lazer familiar em um espaço de transformação social através do amor e da educação.

Quando tudo começou, as crianças eram procuradas na redondeza, de porta em porta, de casa em casa, para saber que não conhecia uma escola.

“Na época as escolas eram muito mais distantes do que hoje e havia crianças especiais em casa, sem estudar, principalmente na nossa região, que é rural. Então, fomos literalmente de fazenda em fazenda procurando crianças sem escola. Para nossa surpresa, as pessoas nos atenderam. Encontramos muitas crianças especiais, que chamamos para estudar conosco. E elas vieram”, afirma Silvana.

Hoje, com mais de 250 alunos, 19 turmas, a escola atende desde crianças com 2 meses de vida até idosos, porque também oferecem alfabetização de adultos.

“São 25 anos de história de dedicação a comunidade rural da região, às crianças, jovens, adultos e idosos que não tiveram a oportunidade de estudar. Ali ao mesmo tempo que tem espaço para todos, não importando condições físicas ou mentais, cada um é único. Cada jeito de ensinar é especial e particular”, afirmam Iara e Eduardo.

A Escola Maria Teixeira recebe crianças autistas, surdas, cegas, com síndrome de Down, alunos com paralisia cerebral, com deficiência física… todos de baixa renda e em regime de inclusão.

“Oferecemos várias modalidades de atendimento e buscamos desenvolver diferentes tipos de atividades de acordo com a necessidade de cada um. E eu quando olho para tudo que foi construído e tantas vidas que passaram por aqui, só consigo me sentir profundamente agradecida pela oportunidade de sonhar que seria possível uma escola assim, que acolhe a todos da mesma forma amorosa”, diz Silvana.

Ajuda

Se fins lucrativos, a escola oferece Educação Especial, Ensino Fundamental (1º a 5º ano), Educação Infantil, Estimulação Precoce e Educação de Jovens e Adultos.

“Em breve serão três décadas de possibilidades de melhorar como ser humano, e isso não tem preço”, sonha Silvana.

E toda a estrutura, alimentação e pagamentos dos funcionários é feita com doações.

Veja mais e como ajudar no site da escola. Eles também estão no Instagram e no Facebook

Aluno da escola rural inclusiva - Foto: divulgação
Aluno da escola rural inclusiva – Foto: divulgação
Silvana, fundadora da escola - Foto: divulgação
Silvana Patrícia de Vasconcelos, fundadora da escola – Foto: divulgação

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do SóNotíciaBoa – com Caçadores de Bons Exemplos