Vovó sobrevivente do Holocausto dá bronca em vacilões da pandemia

Elsa Soslowska, 97 anos - Foto: reprodução / redes sociais
Elsa Soslowska, 97 anos - Foto: reprodução / redes sociais

Do alto dos seus 97 anos, esta avó sobrevivente do Holocausto deu uma bronca, um puxão de orelhas nos netinhos e não netinhos do mundo inteiro que estão vacilando nesta pandemia.

Um recado direto para os jovens – principalmente – que desrespeitando o isolamento e as medidas de segurança impostas pela pandemia. (vídeo abaixo)

O pedido de conscientização é para a galera que está participando de festas lotadas, como se a doença não existisse – e colocando em risco os familiares quando voltam pra casa.

O vídeo

No vídeo, Elsa Soslowska começa contando o que fez para sobreviver ao Holocausto e deixa uma pergunta no ar para a juventude.

“Fiquei escondida em um poço subterrâneo por três anos para que eles não me matassem e dois anos num gueto, sem tomar banho e quase sem comida, mas hoje as pessoas não podem aguentar duas semanas em suas casas?”, pergunta Elsa indignada com o que tem visto nesta pandemia.

O vídeo, compartilhado na primeira onda da Covid pela neta dela, Connie Ansaldi – jornalista e palestrante argentina – voltou a viralizar agora na segunda onda da doença no país.

A gravação foi feita na Argentina, para onde a idosa migrou após o fim da Segunda Guerra Mundial.

“Falamos muito sobre o que está acontecendo. Ela não tem medo por ela, mas por nós ela tem. Tem medo por todo mundo. Os vulneráveis ​​e os saudáveis ​​podem ser afetados. Tudo tem solução, exceto a morte”, acrescentou a neta Connie em sua publicação no Instagram que já conta com mais de 629 mil visualizações.

Elsa continua saudável, aproveitando seus 97 anos e não desiste da vida.

Ela continua pedindo conscientização a quem não respeita o isolamento.

Assista:

Com informações de UPSOCL