Mãe que teve bebê intubada faz homenagem a avô, morto pela covid

1351
Abner e Paloma em casa - Fotos: reprodução / JT2
Abner e Paloma em casa - Fotos: reprodução / JT2

Final feliz no caso da mãe brasileira que teve o bebê enquanto estava intubada, com pulmões comprometidos pela covid-19, em Santarém, no oeste do Pará.

A designer Paloma Oliveira, de 27 anos, que precisou passar por uma cesárea às pressas, já está em casa com filho e os dois passam bem, depois do susto.

A família deu ao menino o nome de Abner, em homenagem ao avô, que infelizmente não resistiu à Covid-19 e morreu no mês passado, 11 dias antes do nascimento do neto.

“Perdi meu pai, minha mãe ficou doente, meu irmão está com sequelas, minha esposa pegou. Vocês que podem ficar em casa, fiquem, porque não é brincadeira”, disse o marido da designer, Emerson Campos, ao JT2.

E Paloma, agora livre da doença foi categórica:

“Não é uma gripezinha. Nunca que é uma gripezinha porque [a covid-19] mata”, lembrou Paloma.

O caso

Paloma estava grávida de 8 meses quando foi infectada pelo novo coronavírus.

Ela testou positivo para Covid-19 e foi internada no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA).

O quadro de Paloma piorou e ela foi intubada.

Após a cesária, o bebê também precisou ser intubado porque nasceu prematuro.

Depois de longos 13 dias, mãe e bebê receberam alta e agora estão se recuperando em casa, junto com o pai e a filha mais velha do casal, Emily, de 1 ano e 10 meses.

Com informações do G1