Empreendedoras transformam retalhos em cobertores para sem-teto no CE

Grupo de empreendedoras transforma retalhos em agasalhos na Grande Fortaleza - Foto: divulgação Remes
Grupo de empreendedoras transforma retalhos em agasalhos na Grande Fortaleza - Foto: divulgação Remes

Toda a ajuda é bem vinda para aliviar o frio que sentem as pessoas que vivem nas ruas nesse inverno. Em Fortaleza, retalhos usados em um shopping estão sendo transformados em cobertores.

A iniciativa mais que positiva é do shopping RioMar Fortaleza com a Rede de Mulheres Empreendedoras Sustentável (Remes) e tem levado conforto e acolhimento para pessoas em situação de vulnerabilidade.

Durante todo o mês de julho, elas vão reutilizar retalhos de fardamentos do shopping para transformá-los em cobertores para pessoas em situação de rua da comunidade do Parque Leblon, na Grande Fortaleza.

Ações voluntárias

Além da entrega dos cobertores, a Remes ainda conseguiu firmar uma parceria com o projeto Sopa Amiga, para a distribuição de refeições durante as entregas dos cobertores.

Geni Sobreira, fundadora e coordenadora social da Remes, disse ainda que “a doação vai além da transformação do lençol. Reaproveitando os equipamentos doados, como luvas e botas, essa iniciativa leva qualidade de vida para essas pessoas também”.

Partilhando conhecimento

Antônia Ana de Sousa Santos, de 45 anos, é uma das costureiras envolvidas com o projeto. Para ela, a oportunidade de poder transformar o tecido que servirá de aconchego para pessoas em situação de rua já carrega imensa felicidade.

Além disso, Antônia disse que se sente privilegiada em poder ensinar a outras mulheres uma profissão, que é a costura.

“Eu me sinto feliz porque é uma área que depois que a gente aprende, gosta muito, tem muito espaço, tem mercado para isso. Eu não sei de tudo, mas me sinto muito gratificada em poder passar um pouco do que eu sei para as meninas”, conta Antônia.

Sobre poder costurar os agasalhos, a profissão reflete o quanto isso é importante para a comunidade.

“É uma gratificação imensurável, porque a gente sabe que muita gente vai se beneficiar com isso. Por isso é sempre bom quando chegam projetos e cursos para as comunidades”, finalizou.

Costureiras. - Foto: divulgação Remes
Costureiras. – Foto: divulgação Remes
Antônia e as costureiras do projeto - Foto: divulgação Remes
Antônia e as costureiras do projeto – Foto: divulgação Remes

Com informações do Diário do Nordeste