Menino com Down excluído da formatura ganha festa da comunidade

1006
Teve palhaço e limusine na festa que a comunidade preparou para o Romeu - Fotos: reprodução / Facebook
Teve palhaço e limusine na festa que a comunidade preparou para o Romeu - Fotos: reprodução / Facebook

A turma da escola do Romeo, um garotinho com síndrome de Down, fez a festa de formatura e não convidou o menino. Na tentativa de justificar a discriminação, alguns disseram que “se esqueceram” de chamar o colega.

Vizinhos e amigos ficaram tão revoltados com a exclusão do Romeo que deram a ele uma festa de rei, muito mais bonita e animada do que a formatura que as famílias dos colegas do “jardim da infância” organizaram.

O evento, com palhaço e limusine, foi em Coahuila, no México.

A história

A mãe do Romeo fez um desabafo no Facebook quando soube que o filho havia sido excluído da própria festa de formatura da escola.

A razão aparente? Ter síndrome de Down, disse ela.

“Foi um dia muito triste para mim e para o filho Romeo. Como mãe tive a ilusão de ver meu filho se formando.”

A virada

Muita gente ficou consternada com o que fizeram com o menino e a comunidade se uniu para dar a ele mais que uma formatura: uma festa de rei.

Vizinhos, palhaços, amigos e familiares animaram o evento do Romeo, como uma resposta amorosa à discriminação que ele sofreu.

O menino recebeu presentes, abraços e todo o amor que merece. E até saiu para dar uma volta na limusine, junto com um dos amigos palhaços.

E o sorriso no rosto do Romeo disse tudo.

“Para as pessoas no campus, se virem isso, elas saberão que erraram e, com sorte, nunca sentirão o que senti. Deus os abençoe”, finalizou a mãe da criança.

Romeu ganhou presentes da comunidade - Foto: reprodução / Facebook
Romeu ganhou presentes da comunidade – Foto: reprodução / Facebook
Romeu com o palhaço na limusine - Foto: reprodução / Facebook
Romeu com o palhaço na limusine – Foto: reprodução / Facebook
A limusine da festa do Romeo - Foto: reprodução / Facebook
A limusine da festa do Romeo – Foto: reprodução / Facebook

Com informações do UpSocl