Jovem cega e autodidata vai estudar em Harvard com bolsa integral

754
Milagros Costabel, de 21 anos vai estudar ciências políticas em Harvard Foto: Arquivo Pessoal
Milagros Costabel, de 21 anos vai estudar ciências políticas em Harvard Foto: Arquivo Pessoal

A história de Milagros é como o seu próprio nome diz: um milagre. Após enfrentar dificuldades com a deficiência visual desde o nascimento, ela vai estudar em Harvard, nos Estados Unidos.

Milagros Costabel é uruguaia e ganhou bolsa integral para estudar ciências políticas numa das mais prestigiadas universidades americanas.

Na última sexta-feira, 13, ela finalmente chegou ao campus central da instituição, em Cambridge, Massachusetts.

Trajetória

Natural da Colônia de Sacramento, a jovem se formou no Liceo da cidade. Mas, até chegar a formatura, ela teve que enfrentar muitas dificuldades para sobreviver.

Milagros é totalmente cega, resultado do tratamento com oxigênio a que foi submetida ao nascer quatro meses antes do esperado, pesando apenas 740 gramas.

“O oxigênio responsável por salvar minha vida foi aquele que, depois de queimar minhas retinas, me deixou sem possibilidade de enxergar”, conta a estudante.

Autodidata

A mãe de Milagros teve que aprender braille para ajudar a filha. Mais tarde, a menina também sofreu com a morte da irmã de 6 anos com câncer no cérebro.

Milagros cursou o ensino fundamental usando uma máquina braille para fazer as tarefas. Depois passou a usar computador.

“Tem um programa que lê tudo na tela e com o qual posso fazer tudo que uma pessoa que vê faria com os olhos”.

Dessa forma, a jovem desenvolveu habilidades de escrita impressionantes, aprendeu inglês de forma independente e descobriu seu amor pela escrita, literatura e jornalismo.

Harvard

Em 2020, a jovem recebeu a notificação de que havia sido aceita em Harvard para estudar a partir de agosto de 2021.

A universidade concedeu a ela uma bolsa integral que, além do diploma, cobre residência e alimentação.

Na ocasião, Milagros disse ao portal de Montevidéu que o primeiro ano em Harvard é de “exploração”.

“Você pode escolher os cursos que você gosta e tem uma equipe assessorando. A partir do segundo ano fica definido o que eles chamam de concentração, que é o que chamamos de graduação, ou licenciatura”, explica.

A jovem chegou aos Estados Unidos na última quarta-feira e mudou para sua nova casa em Massachusetts.

Com informações do Portal Montevideo