Garoto de 13 anos fica em 1º lugar no vestibular no CE

1120
Caio passou no primeiro lugar da UECE e na escola preparatória de cadetes, em Minas Gerais - Foto: arquivo pessoal
Caio passou no primeiro lugar da UECE e na escola preparatória de cadetes, em Minas Gerais - Foto: arquivo pessoal

O nome do Caio Temponi foi o primeiro da lista de aprovados no vestibular para o curso de administração da Universidade Estadual do Ceará (Uece), em Fortaleza.

Com apenas 13 anos, o garoto também se tornou a pessoa mais jovem a ser aprovada com classificação máxima da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar), em Minas Gerais.

Caio conta que as aprovações são resultado de muita disciplina e determinação. Ele sonha em cursar Direito e quer ser juiz federal “para ter um país melhor, poder ajudar as pessoas que precisam também”.

Ajudando outros estudantes

E enquanto ainda não é juiz para ajudar a população, ele faz um pouquinho. Caio dá aulas gratuitas para jovens de todo o Brasil através de um canal que ele tem no YouTube.

“Eu fico bastante feliz de poder compartilhar o meu conhecimento e ajudar outras pessoas também a conseguirem seus sonhos. Quem gosta de matemática, pode aprofundar mais, quem gosta de fazer olimpíada, concursos militares”, explica.

Medalhista de ouro

A mãe do adolescente, Laurismara Martins Temponi, também conta que ele foi medalhista de ouro na Olimpíada de Mayo Nível 1. Na disputa, Caio foi o único brasileiro a ganhar medalha.

Esta disputa internacional, na área matemática, é voltada a alunos do ensino fundamental e médio e contou com estudantes de 12 países.

“Ele passou e foi o único medalhista de ouro do Brasil, com 44 pontos. A maior nota da competição de todos os países. Se eu não me engano, o segundo tirou 34 pontos, então são 10 pontos abaixo dele”, detalha a mãe.

Adiantamento escolar

Laurismara lembra que quando Caio tinha entre cinco e seis anos de idade, estava tão adiantado na escola que precisou avançar três séries.

“Ele sempre, desde novinho, teve muita facilidade em aprender. Nós levamos ele numa neuropsicóloga pra avaliação e foi constatado que o QI [Quociente de Inteligência] dele era alto”.

A mãe então explica que o processo precisou acontecer para que o garoto seguisse com o nível de aprendizado.

“Ele pulou o primeiro ano do Ensino Fundamental I, o terceiro ano e o oitavo ano do Ensino Fundamental II. A gente sempre foi acompanhando ele para o que ele precisava. Graças a Deus eu e meu marido nunca erramos com ele, a gente vê muito o que ele precisa no momento, tudo é muito pensado, muita responsabilidade”, continua.

Rotina de estudos

Caio é bastante dedicado aos estudos. Pela manhã e à noite ele estuda para as olimpíadas. No período da tarde, frequenta o 1º ano do Ensino Médio em uma turma preparatória para o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

“Ele faz aulas de inglês também, já é fluente, vai tirar agora o CAE [sigla em inglês para Certificado de Inglês Avançado], que é a penúltima prova da Cambridge”.

Segundo Caio, além de estudar, ele adora jogar xadrez, futebol e praticar pingue-pongue com o pai. “Eu não tô conseguindo jogar futebol por enquanto por causa da pandemia, mas eu gosto bastante dessas atividades”.

Caio mostra medalha de olimpíadas de matemática - Foto: arquivo pessoal
Caio mostra medalha de olimpíadas de matemática – Foto: arquivo pessoal
Caio e a família - Foto: arquivo pessoal
Caio e a família – Foto: arquivo pessoal
Caio na escola - Foto: arquivo pessoal
Caio na escola – Foto: arquivo pessoal

Com informações de Diário do Nordeste