Violino salva rapaz de bala perdida no Rio: “música me salvou 2 vezes”

908
O violino de Carlos Samuel serviu de escudo no meio do tiroteio no Rio - Foto: arquivo pessoal
O violino de Carlos Samuel serviu de escudo no meio do tiroteio no Rio - Foto: arquivo pessoal

“A música me salvou duas vezes”, é o que diz o rapaz que escapou de uma “bala perdida, no Rio de Janeiro graças ao violino dele, que serviu de escudo.

Carlos Samuel Galvão, tem 20 anos. Ele estava indo para a aula de música quando foi protegido pelo instrumento no mês passado.

Ele estava carregando o violino nas costas e ficou em meio a um tiroteio na região da comunidade em que mora.

De repente, um dos disparos foi na direção dele, mas atingiu o instrumento musical. “O violino serviu como um escudo e salvou minha vida”, afirmou Carlos Samuel à RecordTV. (vídeo abaixo)

“Se não estivesse com o violino, eu seria só mais um nas estatísticas. Ia passar na reportagem que houve um ataque de criminosos fortemente armados, a mesma história de sempre, por um ou dois dias falariam sobre o assunto e depois iriam abafar o caso. Não ia acontecer nada, como sempre”, afirmou à BBC News Brasil.

“Eu conhecia várias pessoas negras que foram vítimas de balas perdidas ou ‘achadas’”, desabafou o jovem. Negros representaram 77% das vítimas de homicídios no país em 2019, segundo o Atlas da Violência 2020.

Veja a bala que atingiu violino no dia 20 de agosto — Foto: Arquivo pessoal
Veja a bala que atingiu violino no dia 20 de agosto — Foto: Arquivo pessoal

Assista a reportagem da RecordTV:

Com informações da Isto É e RecordTV