SVB ajuda jovem que vende flores para pagar tratamento de tumor cerebral

831
Laurinha vende vasos na web para ajudar família a pagar tratamento contra câncer - Foto: arquivo pessoal
Laurinha vende vasos na web para ajudar família a pagar tratamento contra câncer - Foto: arquivo pessoal

Desde os 11 anos, a Laura Vitória dos Santos, de 18 anos, luta contra o câncer. O primeiro diagnóstico apontou tumores hepáticos e, posteriormente, ela descobriu um tumor cerebral agressivo.

Como é de origem humilde, ela teve que deixar alguns projetos de lado para ajudar a família a pagar os tratamentos. Hoje a Laurinha faz artesanato, arranjos de flores e rifas nas redes sociais, mas isso não tem sido suficiente para cobrir todas as despesas. Ela é de Minas, mas tem que se tratar em São Paulo.

Podemos muito ajudar essa garota cheia de sonhos e super talentosa! Por isso, lançamos a vaquinha, para arrecadar um valor suficiente para ela custear todo o tratamento contra o câncer. Contribua no Só Vaquinha Boa!

Diagnóstico do câncer

O primeiro diagnóstico da Laurinha também veio com a notícia que ela precisaria de um transplante.

Foi um ano inteiro de internações, cirurgias e inúmeras mudanças na vida de toda a família da garota.

Mas ela enfrentou o câncer, lutou, acreditou e se curou!

Nos cinco anos seguintes, Laurinha viveu bem. Só que há 1 ano e 3 meses ela teve um mal súbito, com convulsão e hemorragia. Foi quando os médicos descobriram um novo tumor, dessa vez no cérebro.

O câncer de Laurinha é um Glioblastoma grau 4, o mais terrível e sem cura até o momento. No entanto, há tratamentos que podem prolongar bastante a vida dessa garota linda! E é por isso que a família luta desde o diagnóstico.

Sequelas e cuidados essenciais

Por causa da hemorragia, Laurinha ficou com algumas sequelas. Ela teve os movimentos do lado direito da face, braços e pernas comprometidos. Além disso, perdeu a autonomia no aparelho excretor.

Ela também passou a usar fraldas e cadeira de rodas. Só que a vontade de viver é maior que qualquer dificuldade imposta.

Tratamento

Hoje Laurinha faz sessões de quimioterapia e radioterapia. Além disso, mantém o acompanhamento com fisioterapeuta, psicóloga e neuropsicóloga pedagógica.

Os cuidados com alimentação também são grandes. Ela precisa consumir alguns alimentos alternativos e mantém uma dieta alcalina.

A família viu uma grande chance de recuperação há dois meses, quando Laurinha foi selecionada para um estudo da UNICAMP, utilizando a “imunoterapia”. O tratamento alternativo busca eliminar definitivamente tumores e evitar que novos diagnósticos aconteçam.

Vaquinha

Com todos esses desafios, as dificuldades financeiras da família aumentaram muito. Para ajudar nas despesas, Laurinha passou a pintar vasos de planta e vendê-los no Instagram.

Só que a conta dela foi hackeada e a menina está impossibilitada de vender os artesanatos na rede social.

Hoje, a medicação que a Laurinha usa é dada pela UNICAMP e é toda fornecida pelo SUS. Só que a família vive em Minas Gerais e o tratamento é em São Paulo. Então a cada 30 dias, a Laurinha precisa se deslocar para avaliações e apresentar os exames.

Os custos têm sido de aproximadamente R$ 3 mil por mês e o tratamento levará três anos.

“Minha filha quer viver. Ela tem muitos projetos de vida, e tem ânsia de viver. Depois que o Instagram dela foi hackeado, ela entrou em depressão, piorando ainda mais a situação do estado clínico dela. Não é fácil, mas não vamos desistir nunca”, conta a mãe da garota.

Vamos abraçar a causa da Laurinha e ajudá-la a ficar totalmente curada do câncer? Para doar, basta acessar o Só Vaquinha Boa e contribuir. Contamos com você!

A Laurinha também fez questão de gravar um vídeo, mostrando um pouco do trabalho que ela faz. Dá uma olhada:

Laurinha pede ajuda para tratamento - Foto: arquivo pessoal
Laurinha pede ajuda para tratamento – Foto: arquivo pessoal

.

Vaquinha será para o transporte até a Unicamp - Foto: arquivo pessoal
Vaquinha será para o transporte até a Unicamp – Foto: arquivo pessoal

.

Jovem luta contra o câncer desde os 11 anos - Foto: arquivo pessoal
Jovem luta contra o câncer desde os 11 anos – Foto: arquivo pessoal