“Tinder das contas” conecta quem precisa de ajuda a quem pode doar

832
O
O "Tinder das contas" se chama Projeto Garrafas no Mar e foi criado por Alexandre Caruso - Fotos: reprodução / Instagram

Um brasileiro teve uma ideia incrível e comemora os bons resultados! Ele criou uma espécie de “Tinder das contas”, um aplicativo que conecta quem está com boletos atrasados a pessoas que podem ajudar a pagar, fazendo doações.

O projeto Garrafas no Mar, criado durante a pandemia, em junho do ano passado, é uma iniciativa do analista de sistemas Alexandre Caruso, de 45 anos.

Desde o começo do projeto, quase 3 mil boletos já foram pagos, totalizando quase R$ 300 mil.

“Se eu parasse por aqui, já estaria satisfeito, porque sozinho não conseguiria doar esse valor todo”, agradece.

E o projeto, que surgiu em terras brasileiras, ganhou o mundo. São quase 7 mil pessoas cadastradas, entre doadores, que são chamados anjos, e os beneficiários.

“A iniciativa surgiu no Rio, mas se espalhou mundo afora. Tenho cadastro de doadores que moram na Austrália, na França, no Canadá ajudando pessoas daqui, do Recife e até de Manaus” comemora.

A ideia

Alexandre teve a ideia em junho do ano passado, durante a pandemia. Por ter bronquite e fazer parte do grupo de risco para Covid-19, ele começou a se questionar como poderia ajudar as pessoas sem sair de casa.

Foi aí que desenvolveu uma tecnologia que permite conectar quem não consegue pagar contas essenciais, como luz, água e gás, a pessoas quem pode ajudar.

“[É] Um exercício de empatia, que tenta reduzir o impacto da pandemia, engajando pessoas que possam pagar contas de consumo para quem não tem a quem recorrer”, diz a frase de abertura do aplicativo.

Uma das beneficiadas

A artesã Renata Souza, de 43 anos, é uma das beneficiadas.

Antes da pandemia, ela ganhava em média R$ 600 com a venda de laços de cabelo e chinelos customizados. Mesmo valor que passou a receber com o auxílio emergencial pago em 2020.

Só que Renata é mãe de uma adolescente de 14 anos, paga financiamento de um apartamento do programa Minha Casa, Minha Vida, de R$ 160 e tem outras contas básicas de consumo e alimentação.

Além disso, ela não conseguiu mais vender seus produtos e benefício do governo foi reduzido para R$ 150.

Aí a situação apertou. A internet foi cortada e a filha dela ficou uma semana sem poder assistir às aulas de casa.

Até que o irmão da Renata contou para ela sobre o “Tinder das contas”.

“Meu irmão me falou do Projeto Garrafas no Mar, em que eu poderia colocar uma conta de consumo para que alguém pudesse pagar. Já tenho 13 contas pagas, e minha filha agora pode estudar para ter uma vida melhor”, comemorou.

Uma das doadoras

A tecnóloga de alimentos Luciana Cabral, de 36 anos, é uma das doadoras do projeto.

Ela mora em São Paulo e diz que ter emprego nessa crise sanitária e econômica é um privilégio.

Por isso, ela se dispôs a ajudar quem não anda tendo a mesma sorte.

“Já paguei três contas pelo Garrafas no Mar. Muitos projetos sociais são voltados à distribuição de cestas básicas. Com certeza, alimentação é importante, mas ter luz para manter uma geladeira e gás para cozinhar é muito importante também. É dignidade”, disse.

Como participar

Os interessados em participar do Garrafas no Mar devem acessar o aplicativo ou o site do projeto.

Em seguida é preciso preencher um cadastro.

Lá, é possível escolher a conta de consumo a ser paga pelo valor, ou pela história dos participantes.

Com informações do Extra