Primeiro rim artificial vai dispensar diálise e transplantes

18430
O primeiro rim artificial é do tamanho de um smartphone e foi implantado com sucesso para testes Foto: The Kidney Project, UCSF
O primeiro rim artificial é do tamanho de um smartphone e foi implantado com sucesso para testes Foto: The Kidney Project, UCSF

O primeiro rim artificial do Kidney Project promete dispensar diálise e transplantes para pacientes com doença renal.

E os criadores do rim bioartificial Kidney X acabam de conquistar um prêmio de 650 mil dólares pelo primeiro teste funcional do protótipo.

A equipe recebeu o prêmio KidneyX’s Fase 1 Artificial Kidney Prize e foi uma das seis equipes vencedoras selecionadas internacionalmente por sua primeira demonstração do implante do rim artificial T.-

O rim artificial foi feito em parceria público-privada entre o Deparamento de Saúde e Serviços dos Estados Unidos e a Sociedade Americana de Nefrologia.

Teste de avaliação clínica

O ‘’Kidney Project combinou as duas partes essenciais de seu rim artificial, o hemofiltro e o biorreator, e implantou com sucesso o dispositivo do tamanho de um smartphone para avaliação pré-clínica.

Nos últimos anos, o The Kidney Project testou com sucesso o hemofiltro, que remove resíduos e toxinas do sangue, e o biorreator, que replica outras funções renais, como o equilíbrio de eletrólitos no sangue, em experimentos separados.

Para o Prêmio Rim Artificial, a equipe uniu as duas unidades em uma versão reduzida do rim artificial e avaliou seu desempenho em um modelo pré-clínico.

“Este prêmio é uma prova da visão ousada do The Kidney Project e da execução de uma solução viável para milhões de pacientes com insuficiência renal”, disse o reitor B. Joseph Guglielmo da Escola de Farmácia da UCSF, PharmD.

As unidades funcionavam em conjunto, alimentadas apenas pela pressão arterial e sem a necessidade de diluidores do sangue ou medicamentos imunossupressores.

“A visão para o rim artificial é fornecer aos pacientes mobilidade completa e melhores resultados fisiológicos do que a diálise”, disse Roy, que é membro do corpo docente das Escolas de Farmácia e Medicina da UCSF.

“Ele promete uma qualidade de vida muito maior para milhões de pessoas em todo o mundo com insuficiência renal”.

Próximos passos

O rim artificial do Kidney Project não apenas reproduzirá a alta qualidade de vida observada em receptores de transplante renal – o “padrão ouro” do tratamento para doenças renais, de acordo com Roy – mas também os poupará da necessidade de tomar imunossupressores.

“Nossa equipe projetou o rim artificial para suportar de forma sustentável uma cultura de células renais humanas sem provocar uma resposta imunológica”, disse Roy.

“Agora que demonstramos a viabilidade de combinar o hemofiltro e o biorreator, podemos nos concentrar em aprimorar a tecnologia para testes pré-clínicos mais rigorosos e, em última análise, ensaios clínicos.”

Fonte: Escola de Farmácia da UCSF