Duas novas esperanças contra a calvície vêm dos EUA

-
Por Rinaldo de Oliveira
Compartilhar
Imagem de capa para Duas novas esperanças contra a calvície vêm dos EUA
Calvície não atrapalha a beleza e a fama de Dwayne Johnson (dir.) e Terry Crews (esq.) - Foto: Sean Zanni/Patrick McMullan via Getty Images / Jamie McCarthy/Getty Images

Esperança para os carecas – que ainda não aderiram à moda das cabeças raspadas. Duas startups norte-americanas estão fazendo testes promissores para curar a calvície.

Uma usa células do próprio paciente para gerar novos folículos capilares e a outra, células-tronco para transformá-las em folículos capilares.

E de olho no público potencial que poderá se beneficiar, os investimentos nas pesquisas são pesados. Uma dessas pesquisas já recebeu mais de 15 milhões de dólares.

Células-tronco

A startup norte-americana dNovo avançou nos testes para desenvolver a cura para a calvície usando células-tronco humanas em ratos.

Esse tratamento “reprograma” células comuns do corpo – como células gordurosas ou do sangue -, transformando-as em novos folículos capilares. Esses folículos, por sua vez, tomam o lugar dos folículos com os quais nascemos, produzindo cabelo onde, os fios estão quase desaparecendo de tão fracos.

A novidade, que está em estágio pré-clínico, foi informda à Fortune pela empresa fundada pelo biólogo formado pela Universidade de Stanford, Ernesto Lujan.

“Nós conseguimos resultados promissores em ratos e estamos bem empolgados com eles. Esperamos demonstrar a eficiência [da solução] durante testes clínicos humanos e tornar o nosso produto comercialmente disponível, mas neste momento, estamos em uma fase bastante primária do processo”, lembrou Ernesto.

Experimentos trazem duas novas esperanças contra a calvície

Outra startup – a Stemson Therapeutics – recebeu um investimento de US$ 15 milhões (R$ 81,58 milhões) em julho de 2021 para desenvolver a cura para a queda de cabelo.

Neste caso, a empresa usa uma “inovadora tecnologia de regeneração celular usando as células do próprio paciente para gerar novos folículos capilares”.

Essas empresas se valem de um estudo de 2006 sobre células-tronco – capazes de se transformar em qualquer célula do corpo – feito pelo pesquisador japonês Shinya Yamanaka. Ele tem doutorado em biologia humana e que ganhou um prêmio Nobel de Medicina em 2012.

Implantes

Até que as empresas consigam a cura para a calvície, o que ainda pode demorar anos, a alternativa dos calvos tem sido o transplante capilar.

Porém ele é caro! Custa de R$ 10 mil a R$ 30 mil por sessão.

E nem todos os fios implantados “vingam”, havendo necessidade de o paciente retornar após alguns meses para fazer nova sessão de transplante.

Mas os resultados têm sido muito melhores do que há 20, 30 anos, quando o implante introduzia tufos de cabelo e fazia ficar parecendo cabeça de boneca.

Hoje a tecnologia é fio a fio e muitas clínicas usam robôs para fazer o transplante com precisão.

E os fios, além da cabeça, podem ser retirados da barba, do peito e de outras partes do corpo.

Com informações do Olhar Digital e SNB