5 dicas para evitar depender dos filhos na velhice

-
Por Renata Dias
Imagem de capa para 5 dicas para evitar depender dos filhos na velhice
Entre as dicas dos especialistas, para pais não dependerem dos filhos na velhice, está guardar R$ 100 por mês a partir de agora - Foto: Joko Narimo / Pixabay

A preocupação que ronda muitos pais é bastante clara: o que fazer para evitar depender dos filhos na velhice?

Especialistas dão 5 dicas e afirmam que parte do caminho é fazer planejamento financeiro e se organizar. Uma forma é poupar para se manter independente no futuro e buscar direitos que a lei garante aos mais vividos.

Pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostra que, neste ano, a expectativa de vida do brasileiro atingiu os 76,6 anos. De acordo com o estudo, em 7 anos, em 2030, o Brasil terá 41,5 milhões de idosos.

Guardar R$ 100 por mês

Para planejar a aposentaria e consequentemente a velhice, é preciso rever os gastos e o padrão de consumo atuais. A partir daí, começar a separar reservas, ou seja, guardar dinheiro.

Uma alternativa é sempre pensar em poupar pelo menos R$ 100 por mês para ter uma reserva de emergência.

A pergunta que deve nos guiar para não depender dos filhos na velhice é: “Qual o padrão de vida quero ter na terceira idade?”.

Com a questão em mente, é possível definir o modelo de padrão de vida na velhice.

5 Dicas

Para os especialistas, quanto mais cedo a pessoa começar o planejamento e a organização, melhor será a vida na velhice e menor sua preocupação com o futuro em família.

A seguir, as 5 principais dicas

  1. Planejar a aposentadoria
  2. Definir o padrão de vida que deseja ter na terceira idade
  3. Organizar sua vida financeira
  4. Construir uma reserva financeira e começar a poupar agora
  5. Investir em meios que rendam ganhos extras para o idoso além da aposentadoria

Leia mais notícia boa

Valor da aposentadoria é baixo

No país, pelo menos 37,5 milhões são aposentados, pensionistas e beneficiários do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), recebem o mínimo de R$ 1.320,00 e o teto máximo é de R$ 7.507,49.

Porém, os dados mostram que um percentual mínimo de beneficiários do INSS consegue receber o teto pago, portanto, os demais têm de lidar com as dificuldades do orçamento apertado.

Investir com planejamento

É importante, segundo os especialistas, investir em meios que rendam ganhos para o idoso, algo que não seja tão atingido pela alta da inflação e, principalmente, que o investimento esteja disponível para ser usado a qualquer momento.

O importante é agir e planejar a partir de agora.

É fundamental ter em mente que o foco é manter a qualidade de vida no futuro.

Ter uma velhice mais confortável, sem depender dos filhos, depende de planejamento e poupança desde já - Foto: Joko Narimo / Pixabay

Ter uma velhice mais confortável, sem depender dos filhos, depende de planejamento e poupança desde já – Foto: Joko Narimo / Pixabay

É preciso começar já a poupar, mesmo que seja pouco, para não depender dos filhos na velhice e ter uma vida mais independente e feliz na terceira idade - Foto: Alisa Dyson / Pixabay

É preciso começar já a poupar, mesmo que seja pouco, para não depender dos filhos na velhice e ter uma vida mais independente e feliz na terceira idade – Foto: Alisa Dyson / Pixabay

Com informações de Primeira Página