Gila: a abóbora do sul que ajuda no combate a diabetes tipo 2

23187
abobora_gila
abobora_gila
 
Por Andréa Fassina
A abóbora mais uma vez figura no hall das hortaliças que além de alimentar, contribuem para a cura de várias doenças crônicas.
Esta abóbora, com jeito de melancia, vem do sul do país e ajuda no combate a diabetes tipo 2.

Uma parceria entre a divisão de hortaliças da Embrapa e a Universidade de Brasília está desenvolvendo um novo tratamento para esses pacientes.

Pesquisadores encontraram na abóbora GILA, muito comum no sul do país, uma substância capaz de controlar a liberação de insulina.
Conforme explica o presidente da Embrapa, Celso Moretti, novas pesquisas estão indo além e procurando determinar como esses nutrientes são absorvidos pelo organismo e sua eficácia para a manutenção da saúde.
O chefe geral cita três projetos de pesquisa realizados em parceria com a Universidade de Brasília (UnB) como exemplos desse trabalho.
O primeiro estudo, já com resultados publicados, confirmou que o consumo de alicina, o composto ativo mais comum do alho, pode reduzir do colesterol e prevenir o infarto agudo do miocárdio.
Outro projeto em andamento tem como objeto de estudo a abóbora gila, que é rica em sufoniluréias, compostos que promovem a liberação de insulina e são utilizados em medicamentos para diabetes tipo 2. 
Celso Moretti explica que os teores dessas substâncias já foram determinados pela Embrapa Hortaliças, como a melhor forma de preservar esses compostos no processamento.
O resultado foi o desenvolvimento de um pó rico em sufoniluréias, que será encapsulado e testado pelo Hospital Universitário de Brasília em voluntários que apresentem quadro de diabetes.
Outra pesquisa em parceria com a UnB, ainda em fase inicial, vai estudar a citrulina, uma substância presente na melancia que atua no combate à hipertensão.
O projeto tem como objetivo produzir um chá a partir das sementes dessa hortaliça.
Informações da Bandnews e Embrapa.