Integrantes da Mangueira esquentam a Suiça com samba vitorioso

772
Foto: Ninna Crot|||||||Ninna Crot entrevista Márcio Perrotta
Foto: Ninna Crot|||||||Ninna Crot entrevista Márcio Perrotta

Ninna Crot, de Savigny, Suiça para o SoNotíciaBoa

No último fim de semana os tambores do Grêmio Recreativo Estação Primeira de Mangueira, vencedora do Carnaval 2016 no Rio de Janeiro, trouxeram toda a garra do samba para Lausanne, capital do estado de Vaud (Canton de Vaud).

Dezoito, dos 4 mil integrantes da escola, levaram um pouco da verde e rosa a convite do Museu Olímpico de Lausanne (musée Olympique de Lausanne) e estenderam a festança aqui na Suíça.

A Mangueira não somente levantou o povo brasileiro ao passar pelo Sambódromo do Rio de Janeiro na última segunda, 8 de fevereiro, como também fez sambar os suíços com o roncar dos tambores, cavaquinhos e pandeiros e, o molejo gracioso das mulatas da escola, sem contar a elegância do mestre-sala e porta-bandeira.

Com o samba enredo, A Menina dos Olhos de Oyá, em homenagem a cantora brasileira Maria Betânia, a Mangueira esquentou o tempo frio e chuvoso da Suiça.

suiça_mangueira1

suiça_mangueira5

suiça_mangueira0

 

O som estridente dos instrumentos balançou até mesmo as águas calmas e tranqüilas do lago Léman (Lac Léman) na Vila de Ouchy onde fica instalado a sede do Museu Olímpico.

Tradição

Mangueira foi a primeira escola a criar a ala de compositores, incluindo mulheres.

Mantém, desde a sua fundação, uma única marcação, com o surdo de primeira, na sua bateria.

A agremiação foi fundada em 28 de abril de 1928, no Morro da Mangueira, próximo à região do Maracanã, pelos sambistas Carlos Cachaça, Cartola, Zé Espinguela, entre outros. A quadra da escola fica na Rua Visconde de Niterói, no Morro da Mangueira.

Ninna Crot entrevista Márcio Perrotta, diretor e organizador dos representantes da Mangueira na Suiça

Ninna Crot entrevista Márcio Perrotta, diretor e organizador dos representantes da Mangueira na Suiça

Projeto Social

Márcio Perrotta, diretor e organizador dos representantes da Mangueira na Suiça, nos falou sobre  o brilhante projeto cultural e social que a Escola tem para com as crianças da comunidade e com os cerca de 40 mil pessoas adultas (terceira idade), pessoal da velha guarda beneficiada na área da saúde.

“Para as crianças participarem da escola mirim da Mangueira elas têm que estudar e obter boas notas”, garantiu Perrota.

“A Mangueira também montou uma Vila Olímpica e passou a disputar campeonatos esportivos, principalmente no Atletismo e no Basquete, onde disputou o Campeonato Brasileiro de Basquete Feminino e conta com cerca de 100 creches e reforço escolar para as crianças”, completou.

O diretor da Mangueira  disse ainda que se sentiu extremamente acolhido pelo povo suíço.

suiça_mangueira3
Foto: Ninna Crot
suiça_mangueira4
Foto: Ninna Crot