Diego Hypólito vence depressão e é prata na Rio 2016

794
Foto: Getty Images|
Foto: Getty Images|

O campeão está de volta! Diego Hypólito deu um show de superação neste domingo,  14, nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Finalmente o brasileiro conseguiu vencer seu maior inimigo: a depressão.

Ao contrário das previsões pessimistas, Diego conquistou a medalha de prata nos exercícios de solo da ginástica artística e se emocionou…

O atleta de 30 anos exorcizou os fantasma dos últimos dois Jogos Olímpicos – Pequim, em 2008, e Londres, em 2012, quando sofreu quedas durante suas apresentações e perdeu medalhas olímpicas que pareciam ganhas.

Depois das falhas ele viveu momentos difíceis. Caiu em depressão profunda, perdeu 10 kg, foi internado e a comunidade esportiva dizia que as chances de ele ir à terceira Olimpíada tinham desaparecido.

Em 2013, com o fim da equipe de ginástica do Flamengo, Hypólito ficou sem clube e, tecnicamente, sem emprego e lugar para treinar.

Teve de mudar-se do Rio para São Paulo e treinar, de favor, no clube Pinheiros. E passou a manter uma rotina espartana – morava em um alojamento ao lado do ginásio.

Volta por cima

Na competição deste domingo ele confessa que chegou a ficar com medo.

“Aquelas cenas de Pequim me vieram à mente durante a série. Mas eu disse para mim mesmo que hoje era dia de conseguir, de deixar aquilo para trás”, afirmou o atleta.

E deu certo. O que o mundo assistiu neste domingo, na Arena Olímpica, foi uma bela história de redenção esportiva e pessoal.

A recuperação de Hypólito serviu também para mostrar que é possível sim, sair do fundo do poço, recomeçar e vencer.

“Como qualquer pessoa, temos problemas. Minha cabeça foi minha grande adversária, mas eu consegui me recuperar e gostaria que isso servisse de exemplo para as pessoas que me assistiram hoje. Que a gente pode vencer, acreditar em nós mesmos”, afirmou.

Agradecimento

Nas entrevistas após a prata Hypólito agradeceu à psicóloga que o acompanhou: “Eu tive depressão, passei por um momento difícil, mas a Sâmia me reconstruiu emocionalmente”, disse o atleta.

“Diego precisava voltar a acreditar nele mesmo. Esse era o primeiro passo para que pudesse voltar à Olimpíada”, explica Marco Goto, treinador de Zanetti e que “herdou” Hypólito em julho deste ano, quando seu então técnico, Fernando Lopes, foi afastado pela Confederação Brasileira de Ginástica por causa de acusações de abuso sexual.

“Ele chegou de cabeça boa e disposto a trabalhar. Comigo, o divã dele era treinar”, disse Goto.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, 350 milhões de pessoas ao redor do mundo, de todas as idades, sofrem com algum tipo de depressão, que já é a segunda maior causa de morte global entre pessoas de 15 a 29 anos.

Reveja aqui como foi a apresentação vitoriosa de Diego Hypólito.

Diego e Arthur Nory - Foto: Getty Images
Diego e Arthur Nory – Foto: Getty Images

Outra medalha

Outro brasileiro subiu no pódio neste domingo: Arthur Nory (foto acima) conquistou o bronze nos exercícios de solo da ginástica artística.

Até o ouro de Athur Zanetti, em Londres 2012, o país jamais havia conquistado medalhas na modalidade nos Jogos Olímpicos.

Com informações da BBC