Supermercados dão desconto de até 40% em alimentos “feios”

1763
Programa Únicos
Programa Únicos

A cenoura que nasceu grudada a outra, o pepino torto, a pera e a laranja deformadas. Os chamados produtos inglórios, que parecem ser “feios”, mas são igualmente nutritivos e bons para consumo, agora podem ser comprados por preços mais baratos em mercados brasileiros, como acontece desde 2014 no exterior.

Algumas lojas do Extra, Carrefour e Atacadão estão abrindo espaço nas gôndolas para vender frutas, legumes e verduras disformes, ou com prazo de validade próximo do vencimento, com descontos de até 40 por cento para o consumidor.

É uma ótima ideia para reduzir o desperdício – muitos deles acabavam no lixo por preconceito – combater a fome e fazer as famílias economizarem dinheiro na alimentação, independentemente da crise.

Além de serem usados normalmente nas refeições, os “feios” ou inglórios também podem ser aproveitados para fazer sucos e sopas.

Extra

Desde maio, os clientes do Extra podem encontrar na seção de hortifrúti descontos de 20% nos produtos fora do padrão – limões, laranjas, pimentões, chuchus, batatas, abobrinhas e tomates que dificilmente seriam colocados à venda pela aparência ou pelo curto prazo de validade.

“Havia a necessidade de melhorar a capacidade de compra do consumidor e oferecer um produto com faixa de preço melhor”, afirmou o responsável pela área de perecíveis do Extra, Marcos Pozzi à Veja.

No Extra, os produtos comercializados com desconto são vendidos em embalagens de 1 kg – todos passam pelo teste de qualidade da rede antes de serem disponibilizados ao consumidor.

A ação está presente em todos os estados brasileiros, exceto na Bahia.

Carrefour

O Carrefour lançou nesta semana programa similar, batizado de Únicos.

A iniciativa vai oferecer descontos a partir de 30% na compra de 11 frutas e legumes considerados fora do padrão – abobrinha italiana, batata, berinjela, beterraba, cebola, cenoura, chuchu, laranja pêra, maçã gala, pepino e tomate.

O programa, ainda em fase de implantação, já está disponível todas as sextas-feiras nos hipermercados dos bairros Pinheiros e José Bonifácio, em São Paulo.

Atacadão

O Atacadão, que pertence ao Grupo Carrefour, comercializa há dois anos alimentos fora do padrão estético com descontos.

“Nenhum produto sofre tanta alteração como estes [frutas, legumes e verduras], com o desconto você aumenta a chance de venda e as perdas são menores para todo mundo: mercado, consumidor e produtor”, afirmou Foganholo.

Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação

Falta de costume

Eugenio Foganholo, diretor da Mixxer, consultoria de varejo e bens de consumo, diz que o consumidor não está acostumado a comprar alimentos desse tipo.

“Há um movimento na sociedade para entender que eles são tão adequados quanto os outros. O produto pode estar feio, deformado, mas não deixa de ter valores nutricionais.”

Evitar desperdício

Uma das primeiras empresas a perceber o potencial de venda desse tipo de produto foi a Fruta Imperfeita, que desde 2015 trabalha com a entrega de cesta de produtos recusados pelo mercado por terem uma aparência fora de padrão.

“As pessoas não conhecem esses produtos. Quando começamos, nos perguntavam se eram frutas estragadas”, disse a engenheira de alimentos e uma das criadoras da empresa, Nathalia Inada.

Segundo ela, é preciso levar em conta que a aparência não afeta a qualidade nutricional dos alimentos.

“Um dos motivos para os alimentos serem imperfeitos é a questão climática. A plantação sofre, mas continua perfeita para o consumo”.

De acordo com estimativa da Fruta Imperfeita, a iniciativa evitou que 320 toneladas de frutas e legumes fossem para o lixo. “Ajudamos toda uma cadeia produtiva, desde o pequeno produtor”, diz Nathalia.

Assista ao vídeo que um supermercado Francês fez em 2014 para convencer seus clientes a consumirem os inglórios:

Com informações da Veja