Hotel flutuante terá vista privilegiada da aurora boreal

Aurora Boreau na Lepônia - Foto: Pixabay|Foto: Johan Kauppi / Divulgação||
Aurora Boreau na Lepônia - Foto: Pixabay|Foto: Johan Kauppi / Divulgação||

Um hotel flutuante na Suécia terá uma vista privilegiada da aurora boreal.

O espetáculo de cores no céu será oferecido para os hóspedes no Arctic Bath, que será inaugurado este ano.

O hotel fica sobre rio Lule, na Lapônia sueca e o local fica completamente congelado no inverno.

A data exata da abertura permanece um mistério, e por enquanto, a casa ainda não está aceitando reservas.

O mais legal é que o cenário muda conforme a estação. É flutuante, no verão e no inverno, congela.

O valor das diárias ainda não foi revelado.

Atrações

O Arctic Bath terá entre as atrações para os hóspedes banhos frios, atividades aquáticas, várias saunas, tratamentos de spa, loja, lounge e restaurante.

O principal banho flutuante ao ar livre, que se assemelha a um ninho de pássaros, tem um corte no meio que se abre diretamente para o rio. A piscina é mantida à temperatura de 4 graus Celsius.

Serão apenas seis quartos. Cada um deles com janelas enormes para o turista capturar vislumbres surpreendentes do céu durante a noite.

Foto: Johan Kauppi / Divulgação
Foto: Johan Kauppi / Divulgação
hotel_aurora2
Foto: Johan Kauppi / Divulgação

Aurora

As chamadas Luzes do Norte, entre elas a Aurora Boreal, são um fenômeno ótico natural observado no céu das regiões polares, à noite, principalmente na área norte da Escandinávia.

E é onde fica a Lapônia, região que abrange território de quatro países: Noruega, Suécia, Finlândia e Rússia.

Os melhores meses para a observação das Luzes do Norte são de dezembro a março, de preferência na Lua nova.

O fenômeno ocorre em decorrência do impacto de partículas de vento solar com a alta atmosfera da Terra, canalizadas pelo campo magnético terrestre.

hotel_aurora3

Sustentável

A inspiração da construção foi uma técnica usada pelos suecos para permitir o desenvolvimento da indústria florestal naquela região, no Norte do país, com fins de exportação da madeira, no final do século XIX.

Foi então que nasceu a introdução da flutuação em larga escala de madeira, que desempenhou papel essencial na industrialização da Suécia, entre 1820 e 1945.

Os cursos de água disponíveis eram usados para transportar madeira das florestas do interior para as serrarias na costa.

E é por isso que o edifício do hotel tem a estrutura de uma madeira flutuante gigante como lembrete da importância das florestas para todo o desenvolvimento do país, dizem os criadores do projeto, os arquitetos suecos Bertil Harström e Johan Kauppi.

O conceito primordial, segundo definem, é explorar contrastes: calor e frio; água e madeira; história e futuro.

Com informações de O Globo