Tartaruga sorriso não corre mais risco de extinção, anunciam cientistas

Foto: WCS

A tartaruga birmanesa – Batagur trivittata – mais conhecida como tartaruga sorriso, não está mais em extinção, divulgaram cientistas.

De acordo com a WCS, Wildlife Conservation Society, a população cativa de tartarugas está agora se aproximando de 1000, o que significa que a espécie não está mais em perigo de extinção biológica.

A WCS e a TSA, Turtle Survival Alliance, divulgaram uma série de imagens mostrando tartarugas, que têm o formato de um sorriso no bico.

“Os esforços de conservação complementares estão focados na população selvagem restante, que consiste de cinco a seis fêmeas adultas e talvez apenas dois machos”, disse WCS.

Ninhada

No início deste ano, uma tartaruga birmanesa fêmea que nunca foi conhecida por produzir ovos férteis, depositou uma ninhada de 19 ovos – 14 eclodidos em maio.

Ela surpreendeu os conservacionistas, que atribuíram os nascimentos inesperados à introdução de 20 jovens do sexo masculino criados em cativeiro e soltos no rio no final de 2018.

Os pesquisadores coletam os ovos postos pelas fêmeas selvagens restantes em fevereiro e março de cada ano e incubam os ovos em uma remota vila ribeirinha.

Os ovos eclodem em maio e junho, e os bebês são criados por 5-6 anos em cativeiro antes que os conservacionistas os devolvam ao rio.

Zoo

“Grupos de reprodução em cativeiro também foram levados para vários zoológicos e santuários de vida selvagem em Mianmar para produzir tartarugas filhotes adicionais para eventual soltura”, disse WCS.

Embora o crescimento populacional tenha sido gradual a tartaruga de telhado birmanesa vai continuar seu ciclo natural, sem interrupções.

Às vezes, é preciso ir devagar e sempre pra ganhar a corrida, garantem os pesquisadores.

Equipe de conservação de tartarugas da WCS Mianmar Foto: WCS
Equipe de conservação de tartarugas da WCS Mianmar Foto: WCS

Foto: WCS
Foto: WCS

Com informações do Bright Vibes