Mirtes, mãe do Miguel, vai cursar Direito após perder filho que caiu do 9º andar

Miguel e a mãe, Mirtes - Fotos: reprodução / Facebook e TV Globo
Miguel e a mãe, Mirtes - Fotos: reprodução / Facebook e TV Globo

Como se levantar da tragédia de perder um filho? A mãe do Miguel – menino de 5 anos que morreu ao cair do 9º andar de um prédio de luxo no Recife, em junho – encontrou na dor a motivação para ajudar outras pessoas e, assim, recomeçar a vida com um propósito.

Mirtes Renata Santan de Souza – ex- empregada doméstica de Sari Gaspar Corte Real, primeira-dama de Tamandaré – se matriculou na faculdade de Direito. Ela quer ser advogada e atuar contra injustiças.

“Me vi nessa missão. Meu filho me deu o dever de ajudar o próximo”, disse Mirtes em entrevista G1.

Ela contou que o luto pela morte do filho trouxe a determinação para começar uma nova carreira, além da força para enfrentar preconceitos.

“Eu já estou preparada para os desafios. Pode ser que eu passe por algum preconceito, mas já estou passando por coisas piores. Nada se compara à dor que estou sentindo”, afirmou.

A faculdade

As aulas dela vão começar no primeiro semestre de 2021.

Além da torcida de amigos e familiares, Mirtes conta com as boas lembranças do filho como inspiração para seguir em frente.

“Ele sempre teve orgulho de mim. Em qualquer brincadeira com os meninos da rua, em qualquer festa que eu organizava, ele dizia ‘foi a minha mamãe que fez’. Agora ele deve estar muito orgulhoso”, afirmou.

O caso Miguel

Miguel caiu do 9º andar do edifício onde sua mãe trabalhava como empregada de Sari Gaspar Corte Real.

Mirtes saiu para passear com a cadela de estimação da casa, a pedido da ex-patroa e deixou o filho sob os cuidados da mulher.

Ao sair para procurar a mãe, o menino de 5 anos entrou no elevador do prédio e câmeras de segurança mostram Sari acionando a tecla que dá acesso à cobertura e deixando Miguel sozinho.

No dia da morte, Sari Gaspar Corte Real foi presa em flagrante por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, mas responde em liberdade após pagar fiança de R$ 20 mil.

O processo

Em 1º de julho, ela foi indiciada por abandono de incapaz, que resultou em morte.

A família pede na Justiça uma indenização de quase 1 milhão de reais por danos materiais e morais.

Mirtes está otimista com a primeira audiência do caso Miguel, marcada para 3 de dezembro.

Mas, independentemente disso ela se prepara para ser uma advogada que lutará contra injustiças.

Com informações do G1