Garoto desaparecido nos anos 90 reencontra mãe verdadeira após 27 anos

Antonio Carlos antes e agora com a mãe - Fotos: arquivo pessoal
Antonio Carlos antes e agora com a mãe - Fotos: arquivo pessoal

Final feliz! Lembra do motorista Antônio Carlos Silva, que fugiu de casa no Cariri, no Ceará, quando era criança e ficou desaparecido por 27 anos? Depois de ter sido enganado por um falsário, agora ele finalmente conseguiu reencontrar e abraçar a mãe verdadeira.

O reencontro foi no último domingo, 6, em Santa Rita, na Paraíba, onde dona Joseane vive agora com os irmãos e outros familiares de Antônio Carlos.

A família foi localizada na semana passada e Antônio Carlos viajou de Fortaleza para o município, da Região Metropolitana de João Pessoa, com a esposa, a filha e pai adotivo.

O reencontro dele com dona Joseane foi emocionante. Ela disse que agora é a mulher mais feliz do mundo.

“Eu sou a mulher mais feliz do mundo. Encontrei o meu amor que estava faltando”, afirmou a mãe.

Além da mãe, Antônio Carlos foi recebido pelos irmãos Diego, Dielma e Crislene, a família biológica verdadeira.

A história

Sumido há 27 anos, Antônio Carlos viveu a angústia de buscar pela família e não saber se a mãe continuava viva.

O menino, que fugiu num ônibus para escapar dos maus tratos do padrasto, foi parar em Fortaleza.

Sozinho na cidade grande, Antônio Carlos passou por vários abrigos e chegou a viver nas ruas. Até que foi recebido pela Associação O Pequeno Nazareno, que acolhe menores em situação de abandono ou destituídas do poder familiar, por situações de extrema vulnerabilidade.

Bernardo Rosemeyer, ex-frei alemão e fundador da Associação, decidiu, além de acolher, adotar o menino.

Antônio Carlos cresceu, foi educado por Bernardo e hoje, com 27 anos é motorista da associação que o acolheu.

Em novembro deste ano, os dois conversaram sobre o assunto e o desejo que Antônio Carlos tinha de reencontrar a mãe biológica. “Em sonho, voltei muitas vezes para casa”, afirmou.

E o pai adotivo o ajudou.

Panfletos

Contanto apenas com as poucas memórias que tinha, que eles decidiram sair em busca da mãe biológica.

Eles fizeram um panfleto resumindo a história dele e contendo duas fotos, uma atual e outra dele quando era mais novo. O papel foi distribuído no Cariri, onde o garoto desapareceu.

Nisso surgiu um suposto irmão, que pegou o panfleto, se fez passar por familiar de Antônio Carlos e disse que a mãe dele havia morrido.

Mas além de a farsa ter sido descoberta logo, ela deu projeção nacional ao caso. Antônio Carlos foi entrevistado por Fátima Bernardes, no programa Encontro, da TV Globo e para surpresa de todos, anunciou durante a entrevista que havia acabado de encontrar a família verdadeira.

Tio verdadeiro

Após uma reportagem do Diário do Nordeste, um tio verdadeiro, que é de Santarém, no Pará, reconheceu as fotos e o mistério da família verdadeira foi desvendado.

Ele contou que a sua família verdadeira de Antônio Carlos hoje vive em Santa Rita, município da Paraíba.

E após várias conversas com familiares e fotos de um álbum de família, todos descobriram que se tratava da mesma criança.

Para evitar dúvidas, a família de Santa Rita, na Paraíba, aceitou fazer exame de DNA.

Mas o motorista Antônio Carlos disse não ter dúvida de que agora, finalmente encontrou a família verdadeira que tanto procurou.

Panfleto que fez Antonio achar a família - Foto: reprodução
Panfleto que fez Antonio achar a família – Foto: reprodução
Antonio Carlos agora e antes - Fotos: reprodução
Antonio Carlos agora e antes – Fotos: reprodução
Antonio Carlos e a mãe - Foto: arquivo pessoal
Antonio Carlos e a mãe – Foto: arquivo pessoal

Com informações do DiáriodoNordeste