2021 no azul: 5 dicas importantes para controlar as contas

Dinheiro e contas - Foto: iStock
Dinheiro e contas - Foto: iStock

Que tal dessa vez controlar as contas e passar um ano mais leve e tranquilo, sem medo de entrar no vermelho e de cobrador batendo na porta? Sim, ficar no azul é possível, mas pra isso é preciso valorizar o seu dinheiro. Se é duro pra ganhar não deve ser tão fácil pra gastar.

O planejamento dos gastos na reta final do ano é decisivo para fechar o saldo financeiro positivo e não iniciar 2021 com contas adicionais. E mesmo que isso aconteça, a virada do ano é um bom momento pra fazer um balanço do ciclo que acaba e começar a desenhar os planos para o futuro, sem esquecer dos gastos que você fez agora na época das festas e férias.

Para fazer os novos projetos decolarem, é essencial: colocar as contas em dia, quitar dívidas, organizar despesas e criar reservas.

5 dicas para 2021 

1) Faça um balanço financeiro

Leia as faturas do cartão de crédito e os extratos da conta dos últimos cinco meses. Você entenderá melhor as suas principais despesas e, o melhor disso, encontrará custos para cortar.

Para ajudar a colocar as contas em ordem, recorra às planilhas e aplicativos de finanças. Seja pelo computador ou pelo celular, são ótimas ferramentas para manter o controle do seu orçamento e decidir quais ajustes podem ser feitos.

2) Troque dívidas caras

Às vezes, no desespero de quitar uma dívida, costuma-se recorrer às opções mais fáceis e caras, como o cartão de crédito ou o cheque especial.

Para sair do vermelho consulte seu gerente sobre um empréstimo consignado. Além de taxas de juros baratas e prazos flexíveis de pagamento, a modalidade tem outro benefício para quem quer efetuar um planejamento financeiro eficiente: pela internet, você pode comparar diversas ofertas, escolher a mais vantajosa e contratar o crédito de forma totalmente digital.

3) Corte “gastos invisíveis”

Na quarentena multiplicaram-se as assinaturas de serviços de streaming, mensalidades de aplicativos de academia e delivery de compras. Custos que parecem pequenos sozinhos, mas vão se somando a outros gastos recorrentes e automáticos (e muitas vezes desnecessários) e, no fim do mês, podem complicar o orçamento.

É importante criar o hábito de analisar com lupa a fatura para achar esses “gastos invisíveis” e tornar suas finanças mais eficientes e bem aplicadas.

4) Faça reserva de emergência

Imprevistos e emergências acontecem. Após ajustar as contas procure se organizar também para, aos poucos, separar uma reserva de emergência. Guarde todo mês um pouquinho, que seja.

Assim, se houver alguma necessidade urgente, você evitará novas dívidas e também o desgaste emocional que isso provoca.

5) Controle seu dinheiro 

Não saia gastando para tentar aliviar a ansiedade, tristeza, depressão… o consumismo é inimigo da saúde financeira. Lidar com as finanças é aprender também a ter controle emocional.

Gerencie seu dinheiro com cuidado para realizar os seus planos, seja comprar um imóvel, um carro, ou fazer uma viagem no ano que está chegando.

Cuidados

A economia brasileira, como a do mundo inteiro passa por incertezas, relacionadas à pandemia, por isso, pé no freio com os gastos e torça para manter o seu emprego.

O Banco Central prevê uma inflação de 4,21% para o próximo ano, o dólar deve ter uma queda chegando a custar R$ 5,10, já a projeção da taxa Selic é de 3%.

Assim, toda prevenção financeira será bem-vinda para se proteger de qualquer imprevisto.

Ah, não se esqueça que em janeiro normalmente tem reajuste do aluguel, impostos – como IPVA e IPTU – além das mensalidades e lista de material escolar dos filhos.

Com informações de Correio Braziliense